Redação

Rio - O segurança Davi Ricardo Moreira Amâncio, que matou o estudante Pedro Gonzaga com um golpe de mata-leão no supermercado Extra da Barra da Tijuca, na quinta-feira, tem orgulho de sua profissão. Em seus perfis em redes sociais, o segurança de 32 anos posta, recorrentemente, textos sobre sua rotina no trabalho. Recentemente, ele postou uma foto uniformizado, com uma arma na mão e escreveu que "ser um segurança é conviver com a morte e não se abalar, é estar triste e não chorar, é estar acordado para que todos durmam tranquilos, é dar o seu melhor e não ser reconhecido". Nas redes sociais, Davi já usou, como a imagem principal de seu perfil, uma foto do ator Jean-Claude Van Damme, famoso por seus filmes de lutas. O segurança também é chamado de "Vandame" por amigos.

Davi conseguiu o emprego de segurança no Extra há um ano e quatro meses. Ele é contratado da empresa Grupe Protection. Antes, era bombeiro civil e também trabalhava em empresas que prestam serviços de segurança patrimonial para outras companhias. Em fevereiro de 2016, época em que ainda trabalhava combatendo incêndios, escreveu que seu "lema é salvar vidas", num texto que fez em homenagem a um colega de trabalho mais velho.

Depois da rotina de trabalho, o assunto mais recorrente nas redes sociais do segurança é sua família: ele tem duas filhas pequenas, cujas fotos são compartilhadas frequentemente, sempre com elogios. "Deus desenhou cada detalhe com um toque de amor, obrigado meu Deus por essa filha maravilhosa" foi a legenda de uma foto com uma das filhas que postou em março de 2016. Nos comentários de amigos e parentes, muito elogio ao pai "presente".

O segurança também usa as redes sociais para postar conselhos e frases de auto-ajuda. "Não perca sua serenidade! Quando a irritação nos move, a saúde se descontrola, os órgãos se perturbam e sofremos terrivelmente", escreveu no início de 2016.

O segurança Davi Ricardo Moreira Amâncio Foto: Reprodução

Davi foi indiciado pela Polícia Civil por homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e vai responder pelo crime em liberdade, após pagar fiança de R$ 10 mil. Na avaliação do delegado Cassiano Conte, responsável pelo caso na Delegacia de Homicídios da Capital (DH), o segurança "se excedeu na legítima defesa".

Em depoimento, Davi negou ter apertado o pescoço da vítima, disse que não é lutador e acusou Pedro Henrique de tentar tomar sua arma. Investigadores da DH afirmaram que só o laudo de necropsia irá definir se o jovem morreu por causa do estrangulamento provocado pelo golpe mata-leão ou pela compressão da caixa torácica, quando o segurança coloca o peso do seu corpo sobre o do rapaz, impedindo-o de respirar. Nas imagens feitas de celular por um cliente do mercado, é possível perceber que Davi passa cerca de quatro minutos em cima do jovem, aparentemente franzino em comparação ao porte físico do segurança.

- Até o momento que o jovem caiu no chão e ele pegou a arma, como alega o vigilante, havia uma legítima defesa. A situação muda quando ele extrapola o tempo em que impede o rapaz de respirar - comentou um policial que, por não estar diretamente no caso, preferiu não se identificar.

Segundo o advogado de Davi, André França Barreto, ainda "não é possível afirmar que se tratou de asfixia".

— As imagens demonstram claramente que não houve "mata-leão", até porque o Pedro Henrique estava de frente para o Davi. Em segundo lugar, há que se aguardar o laudo pericial, não sendo possível afirmar, neste momento, que se tratou de asfixia.

O professor de Direito Penal da PUC e criminalista Breno Melaragno explica que, embora o delegado tenha interpretado como homicídio culposo, quando não há intenção de matar, o Ministério Público estadual deverá mudar a classificação para homicídio doloso.

— Independente do resultado do laudo, que pode dar como causa da morte o estrangulamento ou sufocamento, a modalidade dolosa (quando há intenção de matar) pode ser percebida pelas imagens que circularam pela internet. Entendo que, ao classificar como homicídio culposo, a autoridade policial considerou que houve legítima defesa por imperícia ou negligência, numa análise técnica. Acredito que o MP estadual irá mudar para homicídio doloso, qualificado pela asfixia, o que torna o crime hediondo. Neste caso, inclusive, cabe prisão preventiva pela periculosidade demonstrada pela conduta do autor do crime — explica o criminalista.

O fato de a mãe de Pedro e testemunhas implorarem para o segurança largar o rapaz e dizer que ele estava com as mãos roxas demonstra, na opinião de Breno, que ele sabia estar extrapolando no uso da força.

— Ele foi avisado que Pedro estava sem ar, mas os ignorou — conclui.

Nas imagens do circuito de segurança do supermercado, o rapaz se aproxima de Davi e parece conversar com ele. Em seguida, quando a mãe de Pedro, Dinalva Oliveira, se aproxima, ele cai no chão e fica se debatendo. Em sua defesa, Davi reforça que se abaixou para tentar ajudá-lo, mas achou que ele estava simulando a situação. Foi quando Dinalva, de acordo com o segurança, avisa que o rapaz era seu filho e que ele era dependente de drogas. Neste instante, outro segurança, Edmilson Félix, se aproxima deles. Segundo Davi, Pedro se levanta e tem outro ataque, fazendo com que ambos caiam no chão.

Fonte: Extra

 

Partida entre Vasco e Fluminense será realizada às 17 horas deste domingo, no Maracanã

O jogo entre Vasco e Fluminense, pela final da Taça Guanabara, marcado para as 17 horas deste domingo (17), será com portões fechados, de acordo com determinação judicial. A juíza Lucia Helena do Passo ainda determinou a devolução dos valores pagos pelos torcedores que já adquiriam ingressos.

O motivo se deve ao impasse entre os times pelo direito de alocar seus torcedores no setor sul do estádio.

O presidente do Fluminense, Pedro Abad, concedeu entrevista coletiva no final da tarde deste sábado (16), e criticou a postura do rival de São Januário com relação ao assunto.

Para o dirigente tricolor, a torcida do Fluminense deveria ocupar o setor sul da arquibancada do Maracanã, atendendo a uma liminar dada na última sexta-feira pelo juiz Sandro Lucio Barbosa Pitassi, da 37ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. O clube das Laranjeiras obteve esta vitória após notificar o Complexo Maracanã para que cumpra o contrato prévio existente entre as partes.

O problema é que o Vasco, com base no mando de campo ganho por sorteio na Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de janeiro), começou a vender ingressos para sua torcida também no setor sul. "O Maracanã foi notificado pessoalmente, eu fui lá, o Vasco deu início às vendas e entendemos que o consórcio deveria avisar ao seu cliente. Então fomos à Justiça, que proferiu liminar concedendo o Setor Sul ao Fluminense. Nossos advogados foram a São Januário, onde foram ameaçados. Houve descumprimento expresso e deliberado de ordem judicial", criticou Pedro Abad.

As declarações do presidente do Fluminense foram dadas poucas horas depois de uma reunião entre ele, o presidente do Vasco, Alexandre Campello, e representantes da Ferj não ter chegado a um consenso. "O Vasco pode jogar no Maracanã quando quiser, operar o estádio quando quiser, mas o lado Sul, quando o Fluminense estiver em campo, é do Fluminense. Um direito contratual", afirmou. "Coloquei muito claramente as questões ao presidente da Ferj, Rubens Lopes, que confusões estavam sendo causadas pelo Maracanã. O Consórcio tomou partido de um clube com o qual não tem contrato comercial".

O mandatário do Vasco bate o pé que a torcida alvinegra ficará no setor sul. "Não houve consenso. Existe a posição da federação, do Bepe (Batalhão Especializado em Policiamento de Eventos), do Vasco e do próprio Maracanã. Embora exista uma decisão liminar, ela não é possível de ser executada. Temos mais de 20 mil ingressos vendidos, absoluta maioria para a torcida do Vasco no setor sul. Não tem como mudar esse curso agora, nem o local da partida", disse Alexandre Campello.

O presidente do Fluminense convocou os torcedores tricolores à "guerra", no sentido de lotar o setor norte para apoiar o time. "O Fluminense não concorda em nada com a organização desse jogo. Não abrimos pontos de venda em Laranjeiras. Não concordamos com isso. Mas quero chamar nosso torcedor para a guerra amanhã (domingo). Quero dizer que nossos jogadores estão treinando até 1h30 da tarde, em um sol escaldante, estão se matando de treinar. E temos que ganhar o jogo amanhã. Nós vamos ganhar. Vamos para dentro. O time precisa do torcedor. Eu quero que vocês lotem aquele setor que não é o nosso (norte), que não é ali que é o nosso lugar. Mas o time é mais importante do que essa questão amanhã. Vamos lá para guerrear, para batalhar", completou.

Preocupada com toda a polêmica, o tenente-coronel Silvio Luiz, comandante do Bope, chegou a afirmar que usaria um efetivo ainda maior do que o empregado na semifinal entre Flamengo e Fluminense, na última quinta-feira, com especial atenção à área externa do Maracanã.

Fonte: Noticias ao minuto

 

 

No segundo mês do ano Corumbá já registrou quatro vítimas no trânsito. Vítima ficou presa às ferragens

João Guilherme Corrêa Grisostimo de 25 anos, bateu violentamente o carro que dirigia, um Fiat/Uno, contra um poste de iluminação pública na rua Dom Pedro II entre a Marechal Floriano e a Alan Kardec, trecho urbano da BR-262, às 23h45 da noite de ontem (15), em Corumbá.

Segundo o “Diário Corumbaense”, o veículo seguia sentido Popular Nova - Agesa, quando saiu da pista e houve a colisão.

João Guilherme teve morte instantânea e ficou preso às ferragens. Ele sofreu lesão na cervical, múltiplas fraturas e afundamento de tórax. Após o trabalho da Perícia Criminal, guarnição do Corpo de Bombeiros teve de usar desencarcerador para retirar o corpo do veículo.

Agora, já são quatro vítimas que vão a óbito no trânsito de Corumbá este ano.

Fonte: Jornal da Nova

 

Através de Indicação, o vereador Paulão (PSDB), solicitou que o Executivo faça a construção de quebra-molas na Rua Eduardo Carilho, nas proximidades do Conselho tutelar.

“Tal pedido tem por justificativa a construção de quebra-molas e que muito contribuirá no sentido de reduzir a velocidade dos veículos, pois os motoristas passam em alta velocidade, colocando em risco a vida de pessoas que utilizam a referida rua, proporcionando maior segurança aos moradores daquela localidade. Muitas crianças e adolescentes atravessam diariamente naquela localidade correndo risco de atropelamento devido a alta velocidade de alguns veículos, sendo que a rua em questão esta se tornando perigosa para pedestres e residentes locais”, ponderou.

Após aprovada por todos os vereadores a referida indicação foi encaminhada para o prefeito Marcilio Benedito para as devidas providências.

Colocação de placas com alerta de perigo na linha da amizade em Novo Horizonte do Sul, é o que solicita ao Executivo através de indicação o vereador Chiquinho do PT.

Em sua justificativa o Vereador Chiquinho disse que ao longo período de chuva a estrada da linha da amizade foi bastante danificada pela erosão, portanto à necessidade de instalação de placas alertando sobre o perigo, desta maneira evitando ocorrência de acidentes na localidade.

A indicação após lida e aprovada por todos os vereadores presente na sessão, será encaminhada para o executivo para as devidas providências.

Pagina 6 de 1259

Salvar

 

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top