Redação

Uma caminhoneta Ford/F-4000, com placas HQF-2940 de Ivinhema, foi furtada durante a madrugada desta sexta-feira (23), na cidade de Ivinhema.

O veículo estava estacionado na rua José Caccia, bairro Guiray, em frente a residência do proprietário.

O furto está sendo divulgado nas redes sociais e a vítima já procurou a Delegacia de Polícia Civil de Ivinhema para registrar a ocorrência.

Fonte: Jornal da Nova

Ministro da Secretaria de Governo falou com a imprensa nesta manhã

Com a decisão do Governo Federal em criar o Ministério de Segurança Pública, as fronteiras com países vizinhos devem ter uma atenção maior e Mato Grosso do Sul também. Quem afirmou isso foi Carlos Marun (MDB), ministro da Secretaria de Governo, durante coletiva de imprensa nesta manhã.

A coletiva foi marcada para que o ministro falasse sobre a intervenção federal no Rio de Janeiro, mas Marun comentou sobre vários assuntos como Reforma da Previdência e eleições. Sobre a questão da segurança, mesmo a intervenção ocorrendo somente no Rio de Janeiro, Marun não excluí Mato Grosso do Sul das ações.

“O governo declarou guerra contra o bandidismo. Um diagnóstico foi feito e aponta para o reforço nas fronteiras também. Ações estão sendo feitas de acordo com a necessidade. Discussões estão acontecendo. O Rio de Janeiro foi uma espécie de fratura exposta da segurança pública. Estava sob o controle de bandidos com armas de guerra. A prioridade do Governo Federal no momento é a segurança. E isso é mostrado pela intervenção e pela criação do Ministério de Segurança Pública”, contou.

Marun completou dizendo que mais investimentos na segurança devem acontecer com essa mudança de foco. “Quando se prioriza a segurança, se dispõe a mexer no orçamento”, afirmou, mas sem dar detalhes ou adiantar valores. “Sem previsão de gastos, por enquanto. Mas será o suficiente para trazer a sensação de segurança de volta”.

Por enquanto, conforme o ministro, não há chance de que novas intervenções ocorram em outros Estados e muito menos que os fatos do Rio de Janeiro interfiram nas eleições deste ano. “Não existe risco ao estado de direito. As medidas foram tomadas de acordo com a Constituição e não existe risco às eleições”, explicou.

FRACASSO
Marun ainda falou sobre a “desistência” temporária do Governo Federal em votar a Reforma da Previdência. Para o ministro, não conseguir alcançar esse objetivo representa um fracasso. “É uma derrota para o Brasil. E não fiquei feliz também. Agora ela [Reforma] sai do Congresso e vai para o palanque. Vai ser usada na campanha por muita gente, com certeza”, comentou.

Ainda conforme o ministro, há uma única chance de a Reforma retornar à pauta ainda neste ano. “Se nosso plano for acolhido e dependendo do resultado das urnas, podemos retomar o assunto em novembro”, completou.

SUDECO
Indicado pelo próprio MDB ao cargo de chefe da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), Antônio Carlos Nantes de Oliveira, foi demitido e sua exoneração publicada hoje (23). Conforme Marun, as atitudes políticas de Nantes acarretaram nessa decisão.

“Perdeu o apoio político por decisões tomadas. Não existe nada que interfira no trabalho, mas foram as escolhas políticas. Ele quer ser Presidente da República pelo MDB, mas nunca foi oferecido um cargo para isso”, afirmou.

Com a segunda maior cheia da história no início da semana, cerca de 150 pessoas ficaram desabrigadas e muitas perderam tudo. Isso além dos danos causados em pontes e outras estruturas da cidade. Para avaliar a situação e ver como o Governo Federal pode ajudar, Marun vai à cidade ainda hoje.

“Vou para ver de perto e avaliar a situação e ver como podemos apoiar com recusos e, se houver necessidade, obras. Ainda não posso falar nada, pois não sei como estão as coisas lá. Colegas me demandaram e vou lá me encontrar com os prefeitos de Aquidauana e Anastácio”, concluiu.

Fonte: Correio do Estado

Ministro da Secretaria de Governo falou com a imprensa nesta manhã

Com a decisão do Governo Federal em criar o Ministério de Segurança Pública, as fronteiras com países vizinhos devem ter uma atenção maior e Mato Grosso do Sul também. Quem afirmou isso foi Carlos Marun (MDB), ministro da Secretaria de Governo, durante coletiva de imprensa nesta manhã.

A coletiva foi marcada para que o ministro falasse sobre a intervenção federal no Rio de Janeiro, mas Marun comentou sobre vários assuntos como Reforma da Previdência e eleições. Sobre a questão da segurança, mesmo a intervenção ocorrendo somente no Rio de Janeiro, Marun não excluí Mato Grosso do Sul das ações.

“O governo declarou guerra contra o bandidismo. Um diagnóstico foi feito e aponta para o reforço nas fronteiras também. Ações estão sendo feitas de acordo com a necessidade. Discussões estão acontecendo. O Rio de Janeiro foi uma espécie de fratura exposta da segurança pública. Estava sob o controle de bandidos com armas de guerra. A prioridade do Governo Federal no momento é a segurança. E isso é mostrado pela intervenção e pela criação do Ministério de Segurança Pública”, contou.

Marun completou dizendo que mais investimentos na segurança devem acontecer com essa mudança de foco. “Quando se prioriza a segurança, se dispõe a mexer no orçamento”, afirmou, mas sem dar detalhes ou adiantar valores. “Sem previsão de gastos, por enquanto. Mas será o suficiente para trazer a sensação de segurança de volta”.

Por enquanto, conforme o ministro, não há chance de que novas intervenções ocorram em outros Estados e muito menos que os fatos do Rio de Janeiro interfiram nas eleições deste ano. “Não existe risco ao estado de direito. As medidas foram tomadas de acordo com a Constituição e não existe risco às eleições”, explicou.

FRACASSO
Marun ainda falou sobre a “desistência” temporária do Governo Federal em votar a Reforma da Previdência. Para o ministro, não conseguir alcançar esse objetivo representa um fracasso. “É uma derrota para o Brasil. E não fiquei feliz também. Agora ela [Reforma] sai do Congresso e vai para o palanque. Vai ser usada na campanha por muita gente, com certeza”, comentou.

Ainda conforme o ministro, há uma única chance de a Reforma retornar à pauta ainda neste ano. “Se nosso plano for acolhido e dependendo do resultado das urnas, podemos retomar o assunto em novembro”, completou.

SUDECO
Indicado pelo próprio MDB ao cargo de chefe da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), Antônio Carlos Nantes de Oliveira, foi demitido e sua exoneração publicada hoje (23). Conforme Marun, as atitudes políticas de Nantes acarretaram nessa decisão.

“Perdeu o apoio político por decisões tomadas. Não existe nada que interfira no trabalho, mas foram as escolhas políticas. Ele quer ser Presidente da República pelo MDB, mas nunca foi oferecido um cargo para isso”, afirmou.

Com a segunda maior cheia da história no início da semana, cerca de 150 pessoas ficaram desabrigadas e muitas perderam tudo. Isso além dos danos causados em pontes e outras estruturas da cidade. Para avaliar a situação e ver como o Governo Federal pode ajudar, Marun vai à cidade ainda hoje.

“Vou para ver de perto e avaliar a situação e ver como podemos apoiar com recusos e, se houver necessidade, obras. Ainda não posso falar nada, pois não sei como estão as coisas lá. Colegas me demandaram e vou lá me encontrar com os prefeitos de Aquidauana e Anastácio”, concluiu.

Fonte: Correio do Estado

Ministro da Secretaria de Governo falou com a imprensa nesta manhã

Com a decisão do Governo Federal em criar o Ministério de Segurança Pública, as fronteiras com países vizinhos devem ter uma atenção maior e Mato Grosso do Sul também. Quem afirmou isso foi Carlos Marun (MDB), ministro da Secretaria de Governo, durante coletiva de imprensa nesta manhã.

A coletiva foi marcada para que o ministro falasse sobre a intervenção federal no Rio de Janeiro, mas Marun comentou sobre vários assuntos como Reforma da Previdência e eleições. Sobre a questão da segurança, mesmo a intervenção ocorrendo somente no Rio de Janeiro, Marun não excluí Mato Grosso do Sul das ações.

“O governo declarou guerra contra o bandidismo. Um diagnóstico foi feito e aponta para o reforço nas fronteiras também. Ações estão sendo feitas de acordo com a necessidade. Discussões estão acontecendo. O Rio de Janeiro foi uma espécie de fratura exposta da segurança pública. Estava sob o controle de bandidos com armas de guerra. A prioridade do Governo Federal no momento é a segurança. E isso é mostrado pela intervenção e pela criação do Ministério de Segurança Pública”, contou.

Marun completou dizendo que mais investimentos na segurança devem acontecer com essa mudança de foco. “Quando se prioriza a segurança, se dispõe a mexer no orçamento”, afirmou, mas sem dar detalhes ou adiantar valores. “Sem previsão de gastos, por enquanto. Mas será o suficiente para trazer a sensação de segurança de volta”.

Por enquanto, conforme o ministro, não há chance de que novas intervenções ocorram em outros Estados e muito menos que os fatos do Rio de Janeiro interfiram nas eleições deste ano. “Não existe risco ao estado de direito. As medidas foram tomadas de acordo com a Constituição e não existe risco às eleições”, explicou.

FRACASSO
Marun ainda falou sobre a “desistência” temporária do Governo Federal em votar a Reforma da Previdência. Para o ministro, não conseguir alcançar esse objetivo representa um fracasso. “É uma derrota para o Brasil. E não fiquei feliz também. Agora ela [Reforma] sai do Congresso e vai para o palanque. Vai ser usada na campanha por muita gente, com certeza”, comentou.

Ainda conforme o ministro, há uma única chance de a Reforma retornar à pauta ainda neste ano. “Se nosso plano for acolhido e dependendo do resultado das urnas, podemos retomar o assunto em novembro”, completou.

SUDECO
Indicado pelo próprio MDB ao cargo de chefe da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), Antônio Carlos Nantes de Oliveira, foi demitido e sua exoneração publicada hoje (23). Conforme Marun, as atitudes políticas de Nantes acarretaram nessa decisão.

“Perdeu o apoio político por decisões tomadas. Não existe nada que interfira no trabalho, mas foram as escolhas políticas. Ele quer ser Presidente da República pelo MDB, mas nunca foi oferecido um cargo para isso”, afirmou.

Com a segunda maior cheia da história no início da semana, cerca de 150 pessoas ficaram desabrigadas e muitas perderam tudo. Isso além dos danos causados em pontes e outras estruturas da cidade. Para avaliar a situação e ver como o Governo Federal pode ajudar, Marun vai à cidade ainda hoje.

“Vou para ver de perto e avaliar a situação e ver como podemos apoiar com recusos e, se houver necessidade, obras. Ainda não posso falar nada, pois não sei como estão as coisas lá. Colegas me demandaram e vou lá me encontrar com os prefeitos de Aquidauana e Anastácio”, concluiu.

Fonte: Correio do Estado

Ação mobilizou policiais civis de Batayporã e Nova Andradina, PM de Batayporã, Taquarussu e Nova Andradina

Jovem de 25 anos foi preso em Nova Andradina em ação conjunta de policiais civis e militares de três municípios, no início da noite desta quinta-feira (22), também foi apreendida uma caminhonete Toyota/Hilux roubada no Estado do Paraná.

Segundo o boletim de ocorrência, o Delegado de Polícia Civil de Batayporã, também responsável pela Delegacia de Taquarussu, Dr. Rafael de Souza Carvalho, recebeu a informação que uma caminhonete Hilux, de cor branca, placas OUN-5876, tinha chegado no Porto São José, município de Batayporã, pela balsa, e tinha um ocupante com atitudes suspeitas.

Ainda segundo os relatos anônimos, esse veículo estaria se deslocando sentido a cidade de Batayporã, pela rodovia cascalhada que liga o Porto São José ao município.

Os policiais montaram uma barreira policial no cascalho e aguardaram o suspeito se aproximar. Pouco tempo depois, a caminhonete apontou na barreira e foi dada ordem de parada para seu condutor que desrespeitou e jogou o veículo para cima dos policiais e fugindo em alta velocidade pela rodovia cascalhada.

A equipe da Polícia Civil de Batayporã perseguiu o suspeito pelas estradas rurais, que rumou sentido a cidade de Taquarussu. Em ato contínuo, a Polícia Militar de Batayporã, de Taquarussu e de Nova Andradina, além da Polícia Civil de Nova Andradina, foram acionadas para ajudarem na perseguição e impedirem a fuga do suspeito.

Desse modo, o suspeito foi capturado em Nova Andradina, após abandonar o veículo e tentar fugir a pé. Ele foi impedido de fugir por populares, os quais tiveram de utilizar força para contê-lo e imobiliza-lo enquanto os militares fechavam o cerco, sendo em seguida algemado e conduzido pelos policiais militares até a Delegacia de Polícia Civil de Nova Andradina.

Foi constatado que a caminhonete era produto de roubo na cidade de Joaquim Tavora (PR), ocorrido no último dia 2 de janeiro deste ano, bem como, que suas placas originais seriam AYS-2852.

Fonte: Jornal da Nova

Pagina 1 de 580

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top