Redação

Em contato com a reportagem, familiares de Nelson Gomes de Oliveira Júnior (23) afirmaram que o estado de saúde do jovem está estabilizado, porém, a situação ainda é delicada.

A principal preocupação é em relação ao grande volume de fraturas sofridas, que estão sendo tratadas para que, posteriormente, ele seja submetido a uma operação. Ainda não há previsão de quando a cirurgia será realizada.

“Por causa das fraturas, ainda não se sabe o dia. Ele está aguardando a cirurgia, esperando o inchaço diminuir. O que podemos dizer é que a situação está estabilizada, mas é delicada, pois foram muitas fraturas”, afirmaram os familiares.

Nelson está internado no Hospital da Vida, em Dourados, desde o último dia 12 de fevereiro, quando foi vítima de um acidente na rodovia MS-475, em Novo Horizonte do Sul.

Fonte: Jornal da Nova

 

Órgão público foi notificado após vistoria realizada em dezembro de 2017 e já está com prazo expirado para realizar adequações

Extintores insuficientes no local, falta de adequação à Lei de Acessibilidade, sinalizações de emergência insuficientes, necessidade de manutenção na rede elétrica... Estas são algumas das deficiências apontadas em relatório de vistoria do Corpo de Bombeiros no prédio da Câmara Municipal de Batayporã.

O relatório técnico prevê ao menos 12 procedimentos que deveriam ser adotados pela Câmara no prazo de 30 dias após a vistoria. O prazo é calculado a partir da data de recebimento de notificação, que no caso foi protocolada em 22 de dezembro de 2017. A vistoria alerta que “o não cumprimento da notificação sujeita o infrator à multa, interdição ou outra penalidade cominada em Lei, podendo ser emitida outra notificação posterior se for identificada alguma exigência”.

Dentre as especificações do Corpo de Bombeiros estão a necessidade de apresentação de Processo de Segurança Contra Incêndio e Pânico, instalação de unidades extintoras, instalação de iluminação de emergência, instalação de placas de sinalização de saída de emergência, adequação das instalações elétricas conforme a NBR 9077, instalação de lâmpadas de emergência, formação de brigada de incêndio, entre outras.

Fonte: Jornal da Nova

 

Medida decretada pelo presidente Michel Temer foi mantida por 340 votos a 72. Texto segue para votação no Senado

A Câmara dos Deputados aprovou na madrugada desta terça-feira, por 340 votos a 72, a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. A sessão se arrastou por sete horas e terminou às 2h15.

Os deputados votaram favoravelmente a um relatório da deputada Laura Carneiro (MDB-RJ), que defendia a medida decretada pelo presidente Michel Temer (MDB) na última sexta-feira. Com a decisão da Câmara, o decreto, que está em vigor desde a sua publicação, na sexta, segue para votação no Senado.

Para que a intervenção fosse aprovada, era necessário que a maioria simples dos deputados presentes no plenário votasse assim, desde que tivessem marcado presença na sessão ao menos 257 parlamentares.

O início da análise do decreto estava prevista para as 19h, mas, diante da obstrução de alguns partidos da oposição, o quórum mínimo só foi atingido por volta das 20h50. Para os opositores, o governo errou por não expor dados concretos que mostrassem a real necessidade de intervir no Rio e não planejou adequadamente a ação.

A intervenção federal no Rio de Janeiro é a primeira medida do gênero a ser apreciada no Congresso brasileiro desde a promulgação da Constituição de 1988.

O governo reconheceu nesta segunda-feira, por meio do ministro Carlos Marun, que a intervenção do Rio de Janeiro inviabiliza a tramitação da reforma da Previdência no Congresso, principal pauta legislativa do Palácio do Planalto nos últimos meses. A Constituição não pode receber emendas enquanto estiverem em vigência intervenção federal, estados de defesa e de sítio. As mudanças nas regras para aposentadorias foram apresentadas como Proposta de Emenda à Constituição (PEC).

Na sexta-feira, ao assinar o decreto, Michel Temer declarou que revogaria a medida caso a base aliada reunisse os 308 votos necessários à aprovação da reforma previdenciária.

O decreto
O decreto assinado por Michel Temer na última sexta-feira e aprovado hoje na Câmara determina que a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro terá duração até o dia 31 de dezembro de 2018.

O texto nomeia como interventor o general do Exército Walter Souza Braga Netto, chefe do Comando Militar do Leste, e é justificado a “pôr termo a grave comprometimento da ordem pública no Estado do Rio de Janeiro”.

Braga Netto ficará subordinado ao presidente “e não está sujeito às normas estaduais que conflitarem com as medidas necessárias à execução da intervenção”. Estarão sob comando do interventor as secretarias estaduais de Segurança Pública, incluindo as polícias Militar e Civil e o Corpo de Bombeiros, a de Administração Penitenciária. Na prática, o decreto dá ao general poderes para atuar como um “governador da segurança pública”.

As demais áreas da administração fluminense, que não tiverem relação direta ou indireta com a segurança, seguirão submetidas ao governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão.

Fonte: Veja

 

Timão sai na frente em Campinas, mas fica no 1 a 1 e chega ao terceiro jogo sem vitória no Paulistão

 

O técnico Fábio Carille mudou o esquema tático e alguns jogadores para tentar fazer o Corinthians voltar a apresentar um bom futebol, mas ficou devendo no Moisés Lucarelli. Sem encantar o time ficou no empate por 1 a 1 com o Red Bull Brasil, em Campinas, nesta segunda-feira, em jogo que ficou marcado por dois gols contra. A equipe corintiana completou três partidas consecutivas sem vitórias - duas derrotas e um empate - no Campeonato Paulista. Veja aqui a classificação completa.

De volta à formação tática com dois volantes, que foi campeã paulista e brasileira em 2017, o Corinthians iniciou o jogo tendo maior organização tática e segurar mais a bola no pé, muito graças ao fato de o time ter errado menos passes em comparação aos últimos jogos. A qualidade, porém, foi caindo com o passar do tempo.

Cássio praticamente não precisou fazer nenhuma grande defesa em todo o jogo e o gol do Red Bull Brasil saiu de um lance infeliz por parte de Juninho Capixaba. O problema é que o time apresentou melhora na marcação, mas continuou com dificuldades na finalização.

Sem centroavante, já que Júnior Dutra abria muito pelos lados, o jeito foi apostar em jogadas pelas pontas, principalmente com Romero e Clayson. E foi em uma dessas tentativas que o time conseguiu abrir o placar.

Cansado da má atuação de Camacho, que pouco produziu na defesa e no ataque, Carille decidiu tirá-lo e colocar Maycon. A mudança surtiu efeito nos primeiros minutos, quando o Corinthians voltou com tudo e passou a arriscar mais chutes de fora da área. Em um deles, Clayson fez boa jogada pela esquerda, cortou para o meio e chutou na direção da área. Romero tentou desviar, mas foi Tiago Alves quem marcou contra.

O gol deu um relaxamento ao time de Carille e tal postura custou caro. O empate ocorreu graças a justamente quem era um dos piores em campo. Após cruzamento para a área, Juninho Capixaba tentou cortar e, de cabeça, mandou para o próprio gol. Em seguida, o lateral saiu machucado. O gol transformou os minutos finais em uma correria de dois times ansiosos e que pareciam tentar ganhar na força. Sem sucesso.

Agora com 13 pontos e na liderança do Grupo A, o Corinthians voltará a jogar no sábado, quando receberá o Palmeiras no Itaquerão. O Red Bull soma 11, em terceiro lugar no Grupo D, e atuará na próxima segunda-feira contra o Ituano, fora de casa.

Fonte: Band

 

Quem 'vendeu' o animal tentou impedir o crime

Uma cadela da raça Pit Bull foi morta a facadas neste domingo (18), pelo dono no Bairro Jardim TV Morena, em Campo Grande. Um vizinho, vendedor do animal, tentou socorrer a cadela sendo impedido pelo proprietário da casa.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, o vendedor do animal teria passado na tarde deste domingo (18) em frente à residência do autor quando o flagrou esfaqueando a cadela, que estava acuada em um canto do quintal.

O homem tentou, junto com a namorada, entrar na casa para resgatar o animal, mas foi impedido e ameaçado pelo morador com um facão. Ele ainda teria dito que buscaria uma arma de fogo para matar o casal.

A polícia foi acionada e conseguiu retirar o animal de dentro da residência, que foi levado para uma clínica veterinária, mas depois de três paradas cardíacas na mesa de cirurgia acabou morrendo.

Na residência estavam os quatro filhos do autor, todos menores de 10 anos, assustados após presenciarem a cena. O morador fugiu e não foi localizado pela polícia.

Foto: Divulgação Polícia Militar

Fonte: Midiamax

 

Pagina 10 de 580

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top