Redação

O Revalida reconhece os diplomas de médicos que se formaram no exterior e querem atuar no Brasil

A segunda etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2017 será aplicada neste sábado (17) e domingo (18) em Brasília (DF), Curitiba (PR), São Luís (MA), Manaus (AM) e Belo Horizonte (MG). Mais de 900 médicos farão as provas, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O Revalida reconhece os diplomas de médicos que se formaram no exterior e querem atuar no Brasil. O Exame é feito tanto por estrangeiros formados em medicina fora do Brasil, quanto por brasileiros que se graduaram em outro país e querem exercer a profissão em sua terra natal.

A segunda etapa do Revalida é uma Prova de Habilidades Clínicas na qual o participante percorre dez estações para resolução de tarefas sobre investigação de história clínica, interpretação de exames complementares, formulação de hipóteses diagnósticas, demonstração de procedimentos médicos e aconselhamento a pacientes ou familiares.

São dois dias de prova e dois turnos de aplicação em cada um. As provas do primeiro turno começam às 13h e as do segundo turno, às 17h. Os portões são fechados meia hora antes. Os horários estão detalhados no Cartão de Confirmação e no Edital do Revalida – 2ª Etapa. É obrigatória a apresentação de via original de documento oficial de identificação com foto para a realização das provas.

A exigência do Revalida foi um dos pontos anunciados pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, como requisito para a participação de Cuba no programa Mais Médicos. Para as autoridades cubanas, o governo eleito questiona a preparação dos médicos ao exigir que eles se submetam à revalidação do título para serem contratados. Após declarações de Bolsonaro, Cuba decidiu deixar o programa.

O programa Mais Médicos foi criado em 2013, na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff, para levar médicos a regiões distantes e periferias do país. A vinda dos médicos cubanos foi acertada por meio de convênio firmado entre os governos brasileiro e de Cuba, por meio da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), e que dispensava a validação do diploma dos profissionais. Na ocasião, o acordo foi questionado por entidades médicas brasileiras.

Desde que foi criado, em 2011, o Revalida é considerado uma prova com alto grau de dificuldade. No primeiro ano de aplicação, 12,13% dos participantes foram aprovados. Em 2012, a porcentagem caiu para 9,85% e, em 2013 chegou ao mínimo para 6,83%. Em 2014, os aprovados aumentaram para 32,62% e, em 2015, aqueles que conquistaram o direito de atuar no Brasil atingiu o nível recorde de 42,15% dos participantes.

Na primeira etapa do Revalida, realizada no ano passado, os médicos fizeram uma avaliação escrita composta por prova objetiva de 100 questões de múltipla escolha, e uma discursiva, com cinco questões. Se inscreveram no Revalida 8.735 candidatos de 56 nacionalidades.

Os brasileiros eram maioria dos inscritos, representando 59% dos participantes. Médicos bolivianos representavam 16% dos inscritos, enquanto os cubanos, 10%. Em relação à origem do diploma, o maior número de participantes se formou em medicina na Bolívia, 55%. Cuba, com 16% e Paraguai, 12%, vinham na sequência. Com informações da Agência Brasil.

Fonte: Noticias ao minuto

Preocupação é não cumprir com a Lei de Responsabilidade Fiscal e perder recursos federais

Durante o Fórum dos Governadores realizado essa semana em Brasília, o chefe do Executivo de Mato Grosso do Sul, eleito para mais quatro anos de governo, Reinaldo Azambuja (PSDB) e mais 18 governadores, apresentaram documento durante reunião com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) com a proposta de mudança na legislação para permitir a demissão de servidores públicos como uma maneira para cumprir os limites estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) com a despesa com pessoal ativo e inativo.

O documento foi redigido após a reunião com Bolsonaro e ainda não foi entregue ao presidente eleito. Os governadores definiram os temas na reunião, com a proposta de elaborar uma carta que seria entregue depois a Bolsonaro. O fim da estabilidade no serviço público tem a simpatia de conselheiros do presidente eleito.

Azambuja e os outros governadores defendem a mudança na legislação para permitir a demissão de servidores como forma de cumprir os limites estabelecidos pela LRF para despesa com servidor ativo e inativo. O motivo desse futuro pedido, deve-se a crise financeira dos estados. Eles podem ficar sem verbas federais pelo descumprimento da Lei.

Fonte: Correio do Estado

A fase pode não ser boa, mas o retrospecto é todo favorável ao Corinthians para o duelo desse sábado, às 19h, contra o Vasco, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. Afinal, desde 2010 a equipe do Parque São Jorge não perde para os cruzmaltinos. Em São Paulo, o último revés faz mais tempo ainda: só em 2007. São 11 anos de invencibilidade da cidade sede do confronto desse fim de semana.

Depois da derrota por 2 a 0 em São Januário, pelo primeiro turno do Brasileirão de 2010, foram nove vitórias corintianas e seis empates no duelo. No último encontro, os paulistas enfiaram 4 a 0, de virada, nos cariocas, que tinham o mando, mas escolheram Brasília como palco do jogo.

Se a estatística se basear apenas nos duelos em São Paulo, o aproveitamento do Corinthians é ainda melhor. O Vasco venceu o Timão por 1 a 0 pelo segundo turno do Campeonato Brasileiro de 2007 e parou por aí. A partir disso, foram seis vitórias do Corinthians e dois empates.

Serve de consolo ou inspiração para os vascaínos apenas o fato de que foi justamente em 2007 que o Corinthians acabou passando pelo seu único rebaixamento na história. Aquela derrota para os rivais desse sábado, no Pacaembu, com gol de Alan Kardec, para muitos, foi mais trágica do que o próprio empate com o Grêmio, na rodada seguinte, quando de fato o descenso à Série B se confirmou.

A equipe de Jair Ventura é a 13ª colocada na atual edição do Campeonato Brasileiro, com 40 pontos. O Vasco vem logo atrás, é o 14º, com um ponto a menos, 39. A quatro jogos do fim do ano para os clubes, o clássico interestadual na Arena é encarado como uma verdadeira decisão.

Fonte: Gazeta Esportiva

 

A lista inclui todos os juízes federais titulares que atuam no âmbito do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), que abrange os Estados de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

Após a saída de Sérgio Moro da 13.ª Vara Federal Criminal de Curitiba na próxima segunda-feira, 19, pelo menos 232 juízes federais titulares poderão se candidatar à cadeira deixada pelo magistrado e assumir o incrível acervo de processos da Lava Jato em primeira instância.

A lista inclui todos os juízes federais titulares que atuam no âmbito do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), que abrange os Estados de Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Ao todo, o tribunal conta com 233 juízes titulares, mas com a saída de Moro na próxima segunda-feira, 19, o número cairá para 232.

No topo da lista estão, pela ordem, os juízes federais Luiz Antônio Bonat (Curitiba), Taís Schilling Ferraz (Porto Alegre), Marcelo de Nardi (Porto Alegre), Alexandre Gonçalves Lippel (Porto Alegre), Hermes Siedler da Conceição Júnior (Porto Alegre), Eduardo Vandré Oliveira Lema Garcia (Santa Cruz do Sul), Altair Antônio Gregorio (Porto Alegre) e Loraci Flores de Lima (Santa Maria).

Todos esses oito juízes titulares ingressaram no TRF-4 no mesmo dia: 25 de maio de 1994, quatro anos depois de Moro, que ingressou como titular no tribunal em 24 de novembro de 1998.

O processo interno de seleção, denominado remoção, deverá durar um mês. Ainda não há previsão para a publicação de edital de remoção, mas uma vez divulgado, os juízes titulares deverão apresentar suas candidaturas nos dez dias seguintes. O critério de seleção será baseado na antiguidade, ou seja, no tempo de atuação do magistrado como juiz titular e, depois, como juiz substituto.

Em caso de empate, será utilizado o critério de colocação no concurso público. Neste critério de classificação, o juiz Luiz Antônio Bonat, da 21.ª Vara Federal de Curitiba, aparece na primeira colocação.

Se nenhum juiz titular apresentar candidatura, a vaga será aberta em um edital de promoção aos juízes federais substitutos, que poderão concorrer à cadeira pelos mesmos critérios de antiguidade e colocação no concurso público.

Até a escolha do substituto de Moro, os processos da Lava Jato continuarão sob a tutela da juíza substituta Gabriela Hardt, que na quarta-feira, 14, interrogou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na ação penal do sítio de Atibaia.

Fonte: A critica

Queda foi amortecida por estrutura de zinco que fica na cobertura da fachada do hotel

Um hóspede de um hotel na Avenida Mato Grosso se jogou do 9º andar e sobreviveu a queda. Informações preliminares repassadas para a polícia militar revelam que o rapaz veio de Recife, na tentativa de reatar um namoro.

Segundo o aspirante a oficial Gabriel Lopes, do Corpo de Bombeiros, a vítima aparenta ter 30 anos e deixou o local consciente. “Três médicos estavam hospedados no hotel e quando chegamos, a vítima já recebia os primeiros atendimentos. Existe a suspeita de que o rapaz tenha consumido bebida alcoólica. Em seguida, uma equipe do Samu veio prestar atendimentos e ele vai ser encaminhado ao hospital”, informou o militar.

Ainda conforme o oficial, a queda da vítima foi amortecida pela estrutura de zinco que fica na cobertura da fachada do hotel.

Fonte: Midiamax

Pagina 10 de 1113

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top