Redação

Um levantamento realizado pelos professores Pablo Ortellado (USP), Fabrício Benvenuto (UFMG) e pela agência de checagem de fatos Lupa em 357 grupos de WhatsApp encontrou entre as imagens mais compartilhadas apenas 8% podendo ser classificadas como verdadeiras. O estudo buscou analisar o fenômeno da desinformação e das mensagens falsas em grupos na plataforma, que vem sendo apontada como principal espaço de disseminação desse tipo de conteúdo.

O estudo analisou conteúdos enviados entre os dias 16 de setembro de 7 de outubro, ou seja, em boa parte do 1º turno das eleições deste ano. A amostra trouxe 347 grupos monitorados pelo projeto Eleição sem Fake, da UFMG. Os resultados, portanto, não podem ser generalizados. Mas trazem indícios importantes para a compreensão deste fenômeno. Ao todo, eles reuniram mais de 18 mil usuários. No período, circularam 846 mil mensagens, entre textos, vídeos, imagens e links externos.

Das 50 imagens mais compartilhadas nos grupos checadas pela agência Lupa, considerando foto e texto, apenas quatro foram consideradas verdadeiras (8%), entre elas uma de Bolsonaro em uma maca e outra do autor da facada no candidato, Adélio Bispo de Oliveira. Do total, oito (16%) eram falsas, como a montagem de Dilma com Che Guevara.

Quatro (8%) foram consideradas insustentáveis, conceito da agência para conteúdos que não se baseiam em nenhum banco de dados público confiável, como fotos de Lula e FHC afirmando que os dois se reuniram para planejar assaltos a banco. Outras nove eram fotos reais, mas com alusões a teorias da conspiração sem comprovação.

Da amostra, sete fotos eram reais, mas tiradas de contexto, como um registro de Aécio Neves e Fidel Castro acompanhado da acusação do político tucano ter virado “aluno” do dirigente cubano. Três imagens foram consideradas sátiras, seis estavam associadas a textos de opinião, o que a agência não checa, e três não foram examinadas por não ser possível aferir se a foto havia sido tirada no Brasil ou não. No total, 56% das imagens que mais circularam foram consideradas “enganosas”.

Caso BNDES

O levantamento dos professores e da Agência Lupa detalhou o caso das mensagens sobre supostos empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para obras fora do Brasil. De oito sobre o tema acompanhadas de fotos, apenas duas eram verdadeiras. Outras três traziam dados considerados “exagerados” e duas eram falsas, como a alegação de que o banco teria financiado um gasoduto em Montevidéu e o soterramento de uma ilha em Sarmiento, na Argentina.

Propostas

Os autores divulgaram propostas em artigos e em documento ao WhatsApp solicitando a redução da possibilidade de encaminhamento de mensagens para, no máximo, cinco destinatários. Hoje, este limite é de até 20 pessoas ou grupos. Segundo o professor da USP Pablo Ortellado, o WhatsApp respondeu que tal medida seria inviável.

“Nós discordamos. Na Índia, após uma série de linchamentos causados por boatos difundidos no aplicativo, o WhatsApp conseguiu implementar mudanças em poucos dias. Nossa situação é bastante grave. Estamos conclamando também o TSE e outras instituições com poder regulatório para agir”, escreveu Ortellado, em texto em sua rede oficial sobre o relatório.

Fonte: Agencia Brasil

A equipe do Batalhão de Polícia Militar Rodoviária da base da Amandina foi informada pela Polícia Militar de Naviraí por volta das 20 horas desta segunda-feira (15), que na rodovia MS-141 havia um veículo capotado.

A equipe da PMR de imediato se deslocou ao local informado e constatou um veículo Chevrolet/S10 ostentando placas de Maringá-PR trafegava pela rodovia MS-141, sentido Ivinhema a Naviraí, perdeu o controle direcional do veículo, saiu da pista vindo a capotar e imobilizando com lateral esquerda sobre solo, ficando fora da pista em um lugar de difícil acesso.

Ao vistoriar o veículo foi constatado que estava somente com o banco do motorista e um pano preto dentro, indicando que o veículo era utilizado para transporte de algum ilícito. Ao consultar os sinais identificadores na base de dados de consulta policial foi constatado que as placas verdadeiras são de Nova Aurora-PR, com registro de roubo. Foram realizadas várias buscas nas proximidades do acidente, porém não foi encontrado o condutor. O veículo foi removido e entregue na Delegacia de Polícia Civil de Naviraí para providências cabíveis.

Fonte: Ivinoticias

A assessoria de imprensa do PRTB não informou o motivo do cancelamento da entrevista e afirmou que o general Mourão segue em compromissos privados

O candidato a vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), general Hamilton Mourão (PRTB), cancelou a entrevista coletiva que havia convocado para a na tarde desta quarta-feira, 17.

A assessoria de imprensa do PRTB não informou o motivo do cancelamento da entrevista e afirmou que o general Mourão segue em compromissos privados.

Esta seria a primeira coletiva convocada por Mourão desde que ele foi desautorizado pelo próprio Bolsonaro a falar em público, em meio a declarações controversas sobre o décimo terceiro salário, Constituição e famílias comandadas por mulheres, no fim de setembro. Desde então, ele tem se restringido a fazer agendas fechadas e falado pouco à imprensa.

Em entrevista ao Jornal Nacional um dia depois do primeiro turno, Bolsonaro qualificou as falas do vice como "caneladas". "Ele é general, eu sou capitão. Mas eu sou o presidente", emendou.

Fonte: Noticias ao minuto

Criança não corre risco de morte

A Polícia Civil investiga o caso de uma jovem grávida que foi amarrada em um tronco, enforcada e, posteriormente, teve o bebê retirado da barriga e roubado. O crime bárbaro ocorreu na cidade de João Pinheiro, Região Noroeste de Minas Gerais.

Segundo a Polícia Militar, Mara Cristina Ribeiro da Silva estava desaparecida desde segunda-feira e seu corpo foi encontrado na tarde de ontem por pessoas que passavam em um matagal próximo ao km 143 da BR-040, perto de um antigo posto da Polícia Rodoviária Federal.

Uma mulher, que no dia anterior tinha ido a um hospital com uma recém-nascida e terminou confessando que a criança não era sua, foi presa. O marido da suspeita também está detido.

De acordo com a PM, às 19h30 da segunda-feira, policiais foram acionados por funcionários do Hospital Municipal de João Pinheiro, que relatavam a entrada de uma paciente bastante agitada, com uma recém-nascida no colo, afirmando que acabara de dar à luz. Entretanto, segundo os funcionários, ela caminhava normalmente e se recusou a ser atendida por um médico obstetra, situação incomum em casos de parto. Ela foi identificada como Angelina Ferreira Rodrigues, de 40 anos.

Ao chegar ao hospital, policiais militares encontraram familiares da vítima, que afirmaram que Mara estava grávida de oito meses e que a mulher que havia ido ao hospital morava com ela desde sábado. Além disso, uma testemunha, que seria vizinha das duas mulheres, disse que por volta das 13h30 daquele dia viu Angelina saindo com Mara e sua outra filha de 1 ano.

Conforme a PM, os militares conseguiram convencer a suspeita a ser atendida por um médico. Na consulta, Angelina teria confessado que a bebê não era sua filha e sim de um amigo, informação que foi repassada aos policiais. Ao ser questionada pela PM, Angelina teria confirmado a informação passada pela vizinha de que saiu com a vítima na tarde de segunda-feira.

Segundo ela, uma pessoa ligou para Mara, marcando um encontro no Bairro Água Limpa e ela decidiu acompanhá-la ao local, levando também a filha de 1 ano da amiga. Ainda segundo a suspeita, chegando ao local, as duas se depararam com uma mulher de baixo porte, morena e que aparentava ter 40 anos. Mara teria seguido a pé com ela, enquanto Angelina ficou com a filha da vítima.

Ainda de acordo com o relato da suspeita, pouco tempo depois, a mulher teria voltado sem Mara e com a recém-nascida no colo e pedido que ela levasse o bebê ao hospital. Angelina teria pedido que seu marido, Roberto Gomes de Souza, de 57, a acompanhasse e deixou a criança de 1 ano com uma vizinha. Sem provas de nenhum crime, o casal foi liberado pelos policiais.

Entretanto, segundo o delegado regional de Paracatu, Carlos Henrique Gomes Bueno, na manhã de ontem policiais civis chamaram a suspeita para que esclarecesse detalhes do boletim de ocorrência. Na delegacia, Angelina teria confessado todo o crime e dito que agiu sozinha. A polícia desconfia da versão de ação individual. Seu marido também prestou depoimento, mas se declarou inocente.

De acordo com o delegado, no início da noite de ontem, depois da descoberta do corpo, Angelina Ferreira Rodrigues teve a prisão decretada, assim como seu marido, Roberto Gomes de Souza. A recém-nascida foi atendida no Hospital Municipal de João Pinheiro e transferida para o Hospital São Lucas, em Patos de Minas, no Alto Paranaíba. Até o fechamento desta edição não havia detalhes sobre seu estado de saúde.

A criança foi transferida para o Hospital São Lucas, em Patos de Minas (Alto Paranaíba), onde se recupera de um corte na cabeça sofrido durante as agressões da mãe. O corpo da vitima foi necropsiado na noite desta terça.

Fonte: Topmidianews

As obras fazem parte da gestão do atual governador de MS Reinaldo Azambuja, candidato à reeleição

Cinco pontes de concretos beneficiam a população de Jatei - distante 332 quilômetros de Campo Grande e que conta com 4.011 habitantes, segundo estimativa do IBGE. As obras são feitas na gestão de Reinaldo Azambuja, candidato à reeleição, pelo PSDB, ao Governo de Mato Grosso do Sul, neste ano.

Quatro pontes estão concluídas. Uma delas sobre o córrego Tago; outra sobre o córrego Água Santa; a terceira sobre o córrego Dona Rosa e a quarta sobre o córrego Bastião. Está em fase de execução a quinta ponte de concreto da cidade sobre o córrego Oliveira. Juntos, os empreendimentos ultrapassam o investimento de R$ 3,4 milhões.

Para garantir a saúde da população e a preservação do meio ambiente, recursos têm sido empregados em Jateí também na ampliação do sistema de esgotamento sanitário.

“Ampliamos o atendimento à população, Jateí é uma das poucas cidades que tem quase 100% de esgoto graças a parceria do Governo Federal com o Governo do Estado”, destaca Reinaldo.

Situado na região da Grande Dourados e banhado pelo rio Dourados, Jateí abriga ainda parte do Parque Estadual das Várzeas do rio Ivinhema. Os investimentos em saneamento, são, portanto, uma forma de garantir a preservação de suas belezas naturais.

Na segurança, uma viatura foi destinada a reforçar o policiamento pelo Programa MS Mais Seguro.

Fonte: Ivinoticias

Pagina 1 de 1049

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top