Redação

Para MP, esquema criminoso direcionava licitações

O ex-prefeito de Campo Grande Nelson Trad Filho e mais 27 pessoas e empresas foram mais uma vez denunciadas à Justiça por irregularidades no serviço de tapa-buracos. Em nova ação fruto de investigação do MPE-MS (Ministério Público Estadual), promotores pedem bloqueio de mais de R$ 1 bilhão em bens do ex-prefeito e dos demais denunciados.

Conforme a ação civil de improbidade administrativa assinada pelos promotores Thalys Franklyn de Souza e Adriana Lobo Viana e apresentada ontem (12) à 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, esquema criminoso era responsável por direcionar licitações para “um grupo exclusivo de empreiteiras”.

A investigação dos promotores começou em 2015, quando os buracos “fantasmas” ganharam repercussão na imprensa. Na época, câmeras flagraram equipes terceirizadas jogando massa asfáltica em trechos de avenidas onde não havia buracos.

Ficou comprovado, na época, que houve má prestação de serviço por parte das empresas e omissão de fiscalização por parte da prefeitura de Campo Grande.

Após as apurações, os promotores concluíram que entre os anos de 2010 e 2012, quando Nelson Trad comandou a cidade, cerca de 30 contratos administrativos foram firmados entre o município e empresas de tapa-buracos. As contratações custaram R$ 372 milhões aos cofres da prefeitura até o janeiro de 2015.

Segundo o MPE, o esquema criminoso, que contava com participação de secretários municipais e donos das empreiteiras, era responsável por direcionamento de licitação. Um exemplo é a Diferencial Engenharia, que sozinha conquistou sete contratos em dois anos e recebeu R$ 80,2 milhões do município.

Com o direcionamento das licitações para um grupo exclusivo – que fazia parte do esquema – houve desvio de recursos públicos que chegam a cifra bilionária R$ 1.043 bilhão. Os promotores também identificaram irregularidades nas medições dos serviços realizados pelas empresas.
“Dessa forma, o requerido Nelson Trad Filho viabilizou a execução do esquema criminoso a ser implantado nos anos seguintes, para o qual contou com o auxílio do requerido João Antônio de Marco, Secretário Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação; do requerido João Parron Maria, Diretor de Manutenção de Vias; do requerido Sylvio Darilson Cesco, Chefe da Divisão de Manutenção de Vias Pavimentadas; e do requerido Bertholdo Figueiró Filho, Diretor Geral da Central de Compras, a fim de garantir que somente determinadas empresas lograssem vencedoras nos certames licitatórios”, afirmam os promotores.

Além de solicitar o bloqueio bilionário do ex-prefeito e dos 28 denunciados, o MPE também pede que 14 contratos firmados entre o município e a Diferencial Engenharia sejam anulados. Condenação pelo crime de improbidade administrativa também é solicitada pelo MP. Os pedidos serão avaliados pela juíza May Melke Amaral Penteado Siravegna.

Fonte: Midiamax

Mais uma vez, o Independiente calou o Maracanã. Como aconteceu em 1998, o time argentino saiu vencedor no duelo com o Flamengo. O empate por 1 a 1, no jogo desta quarta-feira, garantiu ao “Rei de Copas” o bicampeonato da Copa Sul-Americana. No jogo de ida, em Buenos Aires, a equipe portenha havia vencido por 2 a 1. Os gols foram marcados por Lucas Paquetá para o Flamengo e Barco, de pênalti, para o Independiente, ambos no primeiro tempo.

O resultado acabou espelhando o que aconteceu em campo. O Flamengo foi melhor no primeiro tempo, mas não soube transformar em gol as chances criadas. No segundo tempo, o time argentino foi mais organizado e criou as melhores oportunidades de gol diante de um Flamengo nervoso e que cometeu muitos erros.

Primeiro tempo
Debaixo de muita vibração da torcida rubro-negra, a partida começou com os dois times mostrando muita disposição. Aos quatro minutos, o Flamengo criou o primeiro momento de perigo em chute perigoso de Lucas Paquetá que o goleiro Campaña defendeu com segurança. O lance animou a equipe da casa e dois minutos depois foi a vez de Felipe Vizeu se antecipar aos zagueiros e desviar para o gol, mas a bola saiu, embora com muito perigo para o gol argentino.

O Independiente, muito pressionado pela marcação da equipe brasileira, não encontrava espaço para se organizar dentro de campo. Só aos 11 minutos é que a equipe portenha fez o goleiro Cesar trabalhar para defender um cruzamento fechado de Bustos.

Aos 13 minutos, o Flamengo desperdiçou uma grande oportunidade. Felipe Vizeu lançou Everton entre os zagueiros. O atacante penetrou livre, mas chutou nas mãos de Campaña. Logo depois foi a vez de Lucas Paquetá receber na entrada da área, se livrar da marcação e bater com perigo, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora.

O domínio do Flamengo era total. Aos 18 minutos, Paquetá foi derrubado ao lado da área. Diego levantou na área e Juan cabeceou por cima do travessão.

O time dirigido por Reinaldo Rueda atuava de forma agressiva. Lucas Paquetá e Everton atuavam abertos pelas extremas, enquanto Felipe Vizeu ficava entre os zagueiros na área do Independiente.

Aos 21 minutos, o time argentino criou a sua primeira chance de gol. Meza investiu pela esquerda e chutou cruzado, mas César fez boa defesa. O Flamengo respondeu com Diego que se livrou de Amorebieta e chutou, mas o zagueiro conseguiu se recuperar e bloquear o chute do meia.

O Flamengo marcou o primeiro gol aos 30 minutos. Diego cobrou falta, Réver e Juan tentaram a cabeçada, mas a bola acabou nos pés de Lucas Paquetá que empurrou para colocar a bola nas redes e levar o Maracanã ao delírio.

Embalado pela vantagem, o time da Gávea seguiu atacando em busca do segundo gol. O técnico do Independiente decidiu alterar a equipe, trocando o atacante Benitez por Albertengo.

E aos 40 minutos, o time argentino marcou o gol do empate. Lucas Paquetá derrubou Meza na área e, depois de consultar o árbitro de vídeo, Vilmar Roldán confirmou a penalidade máxima. Barco cobrou com categoria e deixou tudo igual.

Aos 47 minutos, na última jogada importante da etapa inicial, Everton arriscou o chute, mas foi bloqueado pela zaga.

Segundo tempo
O Flamengo voltou sem alterações para o segundo tempo. E logo aos três minutos, quase desempatou em grande jogada de Lucas Paquetá que invadiu a área, ganhou dos zagueiros, mas seu chute acabou defendido por Campaña. Aos seis minutos, Trauco cruzou e Paquetá cabeceou para fora. Preocupado com a pouca objetividade do ataque, o técnico Reinaldo Rueda trocou o lateral esquerdo Trauco pelo atacante Vinicius Júnior. Everton recuou para a vaga de Trauco.

Aos 14 minutos, o Independiente criou uma grande chance para marcar. Giglioti tomou a bola de Réver, passou por Cuéllar e tocou na saída de César, mas Juan conseguiu salvar, desviando para escanteio. O Flamengo respondeu com uma cabeçada perigosa de Vinicius Júnior, após cruzamento de Pará. Aos 21 foi a vez de Willian Arão cabecear com perigo, após cruzamento de Paquetá.

O Indepediente atuava mais recuado, mas ao recuperar a bola, buscava sair rapidamente para surpreender a defesa carioca. Aos 29 minutos, o goleiro César se chocou com Réver e bateu a cabeça com violência no gramado, chegando a perder a consciência, mas se recuperou e voltou ao gol.

Rueda tentou dar mais agressividade ao time e colocou Éverton Ribeiro no lugar do volante Cuéllar. Logo depois, Réver perdeu grande chance para desempatar, cabeceando para fora, quando estava livre na pequena área.

Aos 37. Gigliotti tentou surpreender César do meio de campo, mas o goleiro do Flamengo conseguiu fazer a defesa. Rueda colocou o jovem Lincoln para tentar aumentar a pressão sobre o gol argentino.

Aos 43 minutos, Gigliotti arrancou pelo meio, entrou na área e bateu para fora, desperdiçando uma grande oportunidade. Nos acréscimos, após confusão na área, a bola sobrou para Réver que chutou para fora no último lance da partida.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 1 X 1 INDEPENDIENTE-ARG

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 13 de dezembro de 2017 (Quarta-feira)
Horário: 21h45(de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)
Assistentes: Alexander Guzman (Colômbia) e Cristian de la Cruz (Colômbia)
Cartões amarelos: Everton, Vinicius Júnior, Juan (Fla); Albertengo, Meza, Campaña (Ind)
Cartão vermelho: Cuéllar (Fla)

GOLS:
FLAMENGO: Lucas Paquetá, aos 30 minutos do primeiro tempo
INDEPENDIENTE: Barco, aos 40 minutos do primeiro tempo

FLAMENGO: César; Pará, Juan, Réver e Miguel Trauco (Vinicius Júnior); Gustavo Cuéllar (Éverton Ribeiro), Willian Arão, Diego e Everton; Lucas Paquetá (Lincoln) e Felipe Vizeu
Técnico: Reinaldo Rueda

INDEPENDIENTE: Campaña; Bustos(Gaston Silva), Alan Franco, Amorebieta e Tagliafico; Diego Rodríguez e Max Meza (Sanchez Mino); Ezequiel Barco, Benitez (Albertengo) e Gigliotti
Técnico: Ariel Holan

Fonte: Gazeta Esportiva

O suspeito disse não saber que arma estava carregada

Agnaldo Ferraz de Almeida, de 51 anos, morreu após ser atingido por tiro de espingarda de chumbinho, na manhã de hoje, em Três Lagoas. O suspeito de atirar contra o peito da vítima disse que “teria feito brincadeira”, sem saber que arma estava carregada.

Conforme o JPNews, o responsável por disparar a arma é amigo de Agnaldo e foi identificado como Ednilson Lossavaro. Ele deverá prestar esclarecimentos na delegacia.

A vítima chegou a ser socorrida por equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas morreu no local. Ednilson teria passado mal e foi encaminhado para o Hospital Auxiliadora. O motorista trabalhava com transporte de estudantes, era casado e tinha dois filhos.

Fonte: Correio do Estado

Expansão para novas áreas, faturamento e safra recorde marcam período vivido pela Cooperativa

Em 1978, do sonho de 27 pequenos produtores e da necessidade de buscar melhores condições para comercialização de algodão, surgiu em Naviraí, a Copasul, Cooperativa Agrícola Sul-Mato-Grossense. Neste 16 de dezembro, a Cooperativa completa 39 anos comemorando bons resultados, graças a cooperação e ao agronegócio. Atualmente, são mais de 900 cooperados, 500 colaboradores, unidades em oito municípios de Mato Grosso do Sul e um faturamento recorde de 1 bilhão de reais.

Ao longo dos anos, a Copasul expandiu sua área de abrangência e seu campo de atuação. Hoje, os cooperados contam com assistência técnica, recebimento de grãos, fornecimento de insumos, serviços em irrigação, além da área industrial. Através da Fiação o algodão que sai do campo, se transforma em fios para grandes indústrias textêis, principalmente para cama, mesa e banho. A produção atual, atingiu a marca de 1.000 toneladas por mês. E a fecularia, vive um momento de consolidação no mercado, alcançando grandes resultados no faturamento e rentabilidade, nela, a mandioca se transforma em fécula para atender principalmente fabricantes de tapioca e pão de queijo.

Novas unidades e recebimento recorde
Hoje, a Copasul está presente em Naviraí, Itaquiraí, Deodápolis, Dourados, Maracaju, Novo Horizonte do Sul, Nova Andradina e Ivinhema, essa última, abriga a mais nova Unidade de recebimento de grãos, que já nesta safra recebeu mais de 950 mil sacas de milho, superando a expectativa inicial. No total, a Cooperativa recebeu 16 milhões de sacas. Nos próximos anos, a Cooperativa também estará presente em Anaurilândia, sendo que as obras da Unidade já iniciaram.

Cooperação, agronegócio e capacitação
O atual presidente, Gervásio Kamitani afirma que os bons resultados foram conquistados através da união e da força gerada através do campo. “Nós tivemos um ano muito marcante. Infelizmente, nosso presidente, Sakae Kamitani, nos deixou, mas o legado dele gerou grandes marcas. No ano que completamos 39 anos alcançamos grandes resultados, como o faturamento recorde, que inclusive era uma meta dele, além da expansão para novos negócios. E se estamos colhendo bons resultados, é graças aos nossos cooperados, juntamente com os colaboradores. Sem a união do planejamento, do agronegócio e da cooperação, isso não seria possível”, disse Gervásio. Em Novo Horizonte do Sul, a Copasul está localizada no Lote 243 Linha Bom Jesus Km, 05, mais informações pelo telefone (67) 3409-1296.

Parlamentar diz que não quer "parecer com aqueles que critica"

Após a sessão da CPI da JBS terminar com um pedido de vistas por vários parlamentares nesta terça-feira (12), o deputado federal eleito por MS, Carlos Marun (PMDB), voltou atrás da decisão de pedir a prisão do ex-procurador-Geral da República, Rodrigo Janot.

Em seu relatório apresentado na terça à CPI, Marun pediu o indiciamento e prisão de Janot e de seu ex-chefe de gabinete, Eduardo Pelella. Nesta quarta-feira (13), Marun disse à imprensa nacional que “refletiu” e que não pedirá mais o indiciamento de ambos.

Segundo os portais nacionais, o deputado teria alegado que não pretende “cometer o mesmo erro de açodamento” cometido por Janot, e que não gostaria de prejudicar “a harmonia dos Três Poderes”. “Tenho dificuldade em parecer com aqueles que eu critico”, disparou Marun.

“Refleti sobre essas questões. Não fiz apenas uma análise jurídica, mas também comportamental. Em mantendo o indiciamento e reconhecendo a materialidade, talvez estivesse cometendo o mesmo erro que foi cometido pelo senhor Janot e pelo senhor Pelella: o açodamento”, disse.

Ao invés do indiciamento, Marun disse que irá pedir ao MPF (Ministério Público Federal) que promova uma “investigação profunda” contra Janot e Pelella, para saber como ambos conduziram o acordo de delação premiada com a JBS.

CPI da JBS
No relatório inicial de Marun, o deputado pedia a prisão de Janot e seu antigo chefe de gabinete por “subversão à ordem política”, previsto na Lei de Segurança Nacional, e também por difamação, calúnia e abuso de autoridade.

A CPI investiga os termos do acordo de delação premiada entre a PGR (Procuradoria Geral da República) e a JBS, que resultou em duas denúncias contra o presidente Michel Temer (PMDB), elaboradas por Janot.

Além de Janot e Pelella, Marun pediu o indiciamento do ex-procurador Marcelo Miller, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, e do ex-operador financeiro da JBS, Ricardo Saud. Apesar da “reflexão”, Marun manteve o pedido de indiciamento dos três.

Fonte: Midiamax

Pagina 1 de 462

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top