Redação

Flamengo aproveita ressaca do Corinthians e reage com 3 a 0

O Flamengo tirou proveito da ressaca do Corinthians, em festa pela conquista do heptacampeonato brasileiro desde quarta-feira. Neste domingo, a contestada equipe carioca fez 3 a 0 sobre a paulista na Ilha do Governador e aumentou as suas chances de disputar a Copa Libertadores da América em 2018.

Os gols do Flamengo foram marcados no primeiro tempo, quando o Corinthians estava mais sonolento, por Mancuello, Diego (de pênalti) e Felipe Vizeu. O último deles comemorou de forma grosseira, mostrando o dedo médio ao companheiro Rhodolfo, com quem havia discutido um minuto antes.

O resultado positivo levou o Flamengo aos 53 pontos, ultrapassando o rival Botafogo (52 após empatar por 0 a 0 com o São Paulo), na sexta posição. O campeão Corinthians seguiu com os seus inalcançáveis 71 e perdeu a chance de igualar o feito do Cruzeiro de 2013, o único clube a ter vencido ao menos uma vez todos os seus adversários em uma edição do Campeonato Brasileiro de pontos corridos.

Com bons motivos para celebrar, mesmo com a derrota deste fim de semana, o Corinthians ganhará a sua taça diante do Atlético-MG, no próximo domingo, em Itaquera. No mesmo dia, o Flamengo receberá outro time paulista, o Santos, novamente na Ilha do Governador.

Corinthians e Flamengo estarão no Nordeste do País na última rodada do Brasileiro. O campeão enfrentará o Sport na Ilha do Retiro, e o postulante a também disputar a Libertadores irá ao Barradão para jogar contra o Vitória.

O jogo – Enquanto a pequena torcida do Corinthians presente no Luso-Brasileiro gritava “é campeão”, a do Flamengo recepcionava os donos da casa com rispidez. “Time sem vergonha!”, berrou a maioria do público, revoltada com a inconstância dos comandados de Reinaldo Rueda, quando viu os atletas.

O colombiano – que quase assumiu o Corinthians no início do ano – confiava na movimentação ofensiva do desfalcado Flamengo para reverter o mau momento. Após abraçar o colega Fábio Carille, ele viu a sua equipe tomar a iniciativa de atacar o heptacampeão brasileiro.

Acuado, o Corinthians permitiu que o Flamengo ganhasse terreno e, diferentemente do que fez em boa parte de sua campanha vitoriosa, não estava bem armado para contra-atacar. Romero até chegou a ser deslocado da direita para a esquerda, invertendo de posição com Marquinhos Gabriel, mas nenhum dos dois conseguia ser participativo. Assim como Camacho, improvisado na função do poupado Rodriguinho.

Na defesa, o Corinthians também era sonolento. Aos 20 minutos, Mancuello aproveitou para carregar a bola da direita para o centro da entrada da área e bater colocado, buscando o ângulo. Cássio se esticou, mas não alcançou: 1 a 0.

Ficar atrás no placar não foi o bastante para acordar o Corinthians, que não contava nem sequer com a vontade de quem ganhou oportunidade como titular para equilibrar a partida. Léo Príncipe, Marciel e Fellipe Bastos apareciam tanto quanto no restante do Campeonato Brasileiro.

Aos 31 minutos, foi a vez de Geuvânio avançar para cima da marcação corintiana, invadindo a área pela direita. O atacante encontrou Pablo e caiu. Pênalti, na visão do árbitro Wagner Reway. Diego se apresentou para a cobrança e chutou quase no meio do gol para ampliar.

O Corinthians não chegou a empolgar em sua tentativa de reação, mas produziu o suficiente para incomodar parte dos flamenguistas. Jô fez Diego Alves trabalhar em uma cabeçada. Na cobrança de escanteio, Rhodolfo se enervou com o posicionamento defensivo de Felipe Vizeu. Ameaçou até desferir uma cabeçada no companheiro.

No lance seguinte, Vizeu respondeu. O centroavante recuperou a bola no campo de ataque, entrou na área e concluiu cruzado, com categoria, no canto. Na comemoração, ergueu o dedo médio na direção de Rhodolfo. Inconformado, o zagueiro prometeu tirar satisfação no vestiário. O árbitro considerou tudo normal.

Vizeu e Rhodolfo voltaram ao gramado com feições tranquilas para o início do segundo tempo. Afirmaram ter conversado e resolvido a situação a portas fechadas. Do lado do Corinthians, Carille, mais preocupado, trocou Fellipe Bastos por Giovanni Augusto na esperança de mexer com os brios do seu time.

O Corinthians até melhorou a partir da alteração, mas também porque o Flamengo diminuiu o ritmo com a vantagem de três gols no marcador. Atento, Rueda substituiu Geuvânio por Éverton Ribeiro e o lesionado Vizeu pelo novato Lincoln.

O jogo voltou a ser movimentado a partir de então. Nesse panorama, Carille apostou na velocidade de Pedrinho no lugar de Marquinhos Gabriel. Não adiantou. Embora tenha recobrado a segurança defensiva, o Corinthians não esteve muito perto de descontar e ainda ouviu a torcida local gritar “olé” nos minutos finais. O público visitante respondeu com orgulho: “É campeão!”.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 3 X 0 CORINTHIANS

Local: Estádio Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 19 de novembro de 2017, domingo
Horário: 17 horas (de Brasília)
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Fábio Rubinho (MT)
Público: 12.293 pagantes (total de 13.491)
Renda: R$ 294.198,00
Cartões amarelos: Geuvânio, Pará, Rhodolfo e Rafael Vaz (Flamengo); Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto, Romero e Léo Príncipe (Corinthians)
Gols: FLAMENGO: Mancuello, aos 20, Diego, aos 32, e Felipe Vizeu, aos 45 minutos do primeiro tempo

FLAMENGO: Diego Alves; Pará, Rhodolfo, Rafael Vaz e Trauco; Willian Arão, Cuéllar, Mancuello (Rodinei), Diego e Geuvânio (Éverton Ribeiro); Felipe Vizeu (Lincoln)
Técnico: Reinaldo Rueda

CORINTHIANS: Cássio; Léo Príncipe, Balbuena, Pablo e Marciel; Gabriel, Fellipe Bastos (Giovanni Augusto), Romero (Rodrigo Figueiredo), Camacho e Marquinhos Gabriel (Pedrinho); Jô
Técnico: Fábio Carille

Fonte: Gazeta Esportiva

Discursando contra os partidos políticos -que definiu como atores de um "quadro deteriorado", que "mergulhou pais num oceano de dificuldades-, o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) divulgou, neste domingo (19), a sua pré-candidatura à Presidência em 2018.

Dias participou de um evento na Assembleia Legislativa de São Paulo, promovido pela juventude de seu partido. Elogiou as ações de combate à corrupção do Ministério Público, da Justiça e da Polícia Federal. Citou dois "ícones da Justiça": os juízes da lava Jato Sergio Moro e Marcelo Bretas).

"Ou [os políticos] mudamos, ou seremos atropelados por esse sentimento irresistível", afirmou. "Organizações criminosas", "lavanderias do dinheiro público", "filhos do Petrolão" e "sanguessugas" foram alguns dos termos que o senador usou para se referir à classe política.

À reportagem ele afirmou discordar de "muitos analistas" que veem, neste momento, uma possibilidade de polarização eleitoral entre o ex-presidente Lula (PT), à esquerda, e o deputado federal (Jair Bolsonaro), à direita.

O senador registrou 4% das intenções de voto na última pesquisa Datafolha, em outubro. Lula tem 36% e Bolsonaro, 16%.

"Há no inconsciente coletivo um movimento que emerge, avassalador, contra os velhos conceitos, que estão arraigados ainda entre os analistas", ele diz. "Imagino as pessoas lúcidas, conscientes de que a omissão pode ser tragédia política renovada."

Ele diz apostar que o PSDB, que deixou em 2015, enfrentará rejeição nas urnas em 2018.
Os tucanos veem algumas de suas principais lideranças, como os senadores José Serra (SP) e Aécio Neves (MG), atingidos pelas investigações da Lava Jato.

Além disso, o partido tem vivido uma divisão interna sobre permanecer ou desembarcar do governo Temer.
"O PSDB já perdeu várias eleições e deve perder mais uma, como consequência exatamente do seu perfil de partido cartorial, com decisões impostas de cima para baixo. [A sigla] não exercita internamente a democracia e promove divergências internas."

Para Dias, sua antiga legenda "está no campo dos partidos rejeitados, que a população indica que não pretende votar" e "sofrerá as consequências de suas últimas atitudes, especialmente quando aderiu ao PMDB no impeachment [de Dilma Rousseff], em vez de requerer o impeachment completo".

ALIANÇAS

O Podemos, a que Alvaro Dias se filiou em 1º de julho deste ano, é o sétimo partido do senador.
"Minha tese é de que não temos partidos no Brasil. Por isso, quando me indagam por que mudei de partido, digo que nunca mudei de partido", ele explica.

Ainda não vislumbra alianças com outras legendas em sua campanha "irreversível" para disputar a Presidência.

"As alianças foram a causa dessa desgraça administrativa que se implantou no Brasil. Quero ficar distante desse conluio partidário promíscuo", afirmou.

As associações, no entanto, serão possíveis para viabilizar candidaturas regionais, como a do senador e ex-jogador de futebol Romário Faria ao governo do Rio.

Ideologicamente, diz rejeitar se classificar como político de esquerda ou de direita. Ou mesmo de centro: "Prefiro apresentar as credenciais e deixar que as pessoas me rotulem".

"Procuro valorizar ideias que são consideradas patrimônio da direita e ideias que são consideradas patrimônio da esquerda. Não entendo como elas não podem ser patrimônio de quem quer que seja", ele comenta.

No campo que ele atribui à direita, defende um Estado mais enxuto, com um programa de privatizações que exclui empresas "estratégicas que dizem respeito à soberania nacional", como a Petrobras e a Eletrobras. À esquerda, defende programas sociais de transferência de renda.

Fonte: Folha Press

Bebê estava na unidade intermediária; segundo a Santa Casa, estado de saúde é estável. Hospital informou que afastou profissional e vai apurar o caso.

Um premauturo de 71 dias foi parar na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após uma técnica em enfermagem da Santa Casa de Campo Grande injetar leite materno na veia do bebê. Segundo a família, antes do episídio, a criança estava na unidade intermediária.

O hospital informou que afastou a profissional e abriu uma sindicância para apurar o que aconteceu. O resultado deve sair em uma semana. "Ele está reagindo bem. Mas a gente precisa completar o tempo de tratamento. Ele já tem uma melhora em termos de exames laboratoriais e clínica", afirmou Walter Lopes, coordenador infantil da Santa Casa.

A família registrou boletim de ocorrência na polícia e disse que na quinta-feira (16), os médicos precisaram fazer uma punção no coração da criança, de onde retiraram 12 ml de leite. A Santa Casa negou que o procedimento tenha acontecido. O hospital afirma que, o que realmente aconteceu, foi uma complicação no acesso por onde ele recebe medicamentos.

"A respeito desse erro, infelizmente ia cuidar a vida do meu filho. Começa a doer e eu me apavoro por lembrança. Eu estava esperando a alta do meu filho. Eu estava contando vinte dias pra gente ir embora, e não pra eu ficar mais vinte dias no hospital. Quatorze dias são só antibiótico", desabafou a mãe Jaqueline Pereira de Moura.

Fonte: G1

Crime aconteceu na noite deste sábado na rua Francisco de Assis Reinaldth

O caminhoneiro Paulo Ribeiro da Silva de 49 anos, conhecido como QRA Baiano, foi assassinado com um tiro na cabeça, por volta das 22h deste sábado (18), em frente sua residência, na rua Francisco de Assis Reinaldth, próximo a esquina com a rua Espírito Santo, nas proximidades do ESF (Estratégia de Saúde da Família) Morada do Sol, em Nova Andradina.

Conforme o boletim de ocorrência, Paulo estava em frente sua casa com seu filho conversando, quando, o suspeito, um homem de 35 anos, identificado pela polícia como Marciliano Souto da Silva, conhecido como “Ninja das Podas”, chegou pelo canto do muro e entrou no quintal da vítima, que o indagou, iniciando uma discussão.

O suspeito disse: "você não manda em mim não!", e a vítima respondeu: "mas aqui no meu quintal eu mando!". O homem estava com dois tijolos na mão e tentou acertar na vítima, e esta por sua vez, escorregou, e assim sendo, Paulo revidou com um pedaço de madeira para tentar se defender.

Diante da iminência de ocorrer lesão, a vítima pegou a madeira que estava em suas mãos e desferiu na parte frontal da face do rapaz, momento em que o filho da vítima separou tal situação.

O suspeito saiu correndo do local e entrou em sua caminhonete que estava parada na esquina. A vítima entrou para o interior da sua casa.

A Polícia Militar foi acionada e esteve no local para conversar com a vítima sobre o ocorrido. Diante disso, cerca de meia hora depois, Paulo foi assassinado e testemunhas descreveram o autor como "o cara da caminhonete".

Populares acionaram o Samu 192, porém, a vítima já estava em óbito ao lado da carreta que ele trabalhava.

A Polícia Civil e a Perícia Criminal estiveram no local coletando dados que contribuirão para a investigação do crime. A Polícia Civil informou que já investiga o caso e esta a procura do suspeito.

Marciliano Souto da Silva de 35 anos, conhecido como “Ninja das Podas” está foragido – Foto: Jornal da Nova/Arquivo

Fonte: Jornal da Nova

Sétima eleição desde o retorno da democracia

Neste domingo (19) os chilenos vão às urnas para escolher o novo presidente, além de 155 deputados e 23 senadores. Está é a sétima eleição presidencial desde o retorno da democracia, em 1990.

A primeira eleição em que a coalização de centro-esquerda – que elegeu a presidente Michelle Bachelet – enfrenta dividida. A fragmentação favoreceu o empresário bilionário, Sebastián Piñera, de centro-direita, que governou o pais de 2010 a 2014. Dos oito candidatos à sucessão, ele é o favorito nas pesquisas de opinião.

Na última pesquisa publicada pelo do instituto Cadem, Piñera teria 45% da intenção de voto – o dobro dos 23% obtidos pelo segundo colocado, o senador Alejandro Guillier, candidato de Bachelet. Além de Guillier, três outros candidatos representam a antiga coalizão de centro-esquerda Concertación (que em português significa pacto), que foi rebatizada de Nova Maioria em 2013. Desde o fim da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), ela elegeu todos os governos, com exceção de um: o do próprio Piñera.

A terceira colocada nas pesquisas de opinião é a jornalista Beatriz Sanchez, com 14% das intenções de voto. Não fosse o racha, ela estaria na mesma coligação de centro-esquerda que Guillier. Mas a queda na popularidade de Bachelet contribuiu para a divisão.

Bachelet, que concluiu seu primeiro mandato em 2010 com um índice de aprovação de 80%, deixará o governo em março e conta atualmente com 32% de popularidade. Uma das razões foi o desempenho da economia, que foi afetada pela queda do preço do cobre, principal produto de exportação chileno.

A presidente – que foi eleita pela revista Forbes como a quarta mulher mais poderosa do mundo – legalizou o casamento gay (num pais onde ser homossexual era crime até 1999) e o aborto (em casos de estupro, risco de morte da mãe e inviabilidade do feto). Ela promoveu uma reforma educativa, para ampliar o acesso gratuito a colégios e universidades, e uma reforma tributária, que aumentou os impostos as grandes empresas.

Segundo o sociólogo Eugenio Guzmán, a classe média chilena tinha grandes expectativas em relação às promessas feitas por Bachelet. E muito do que fez ainda não surtiu efeito. Já o impacto da desaceleração da economia foi imediato. Durante o governo da presidente, o Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas em um país) cresceu em média 2% - metade do que crescia no governo anterior, de Sebastian Piñera, quando o preço do cobre era alto.

Escândalos de corrupção envolvendo vários partidos – e também o filho e a nora de Bachelet – contribuíram para a desilusão dos chilenos com seus políticos. Segundo uma pesquisa do Centro de Estudos Políticos (CEP), 60% dos chilenos não se identificam com os partidos políticos existentes. E como o voto deixou de ser obrigatório em 2012, espera-se um alto índice de abstenção no domingo.

A campanha eleitoral mobilizou pouco – até porque, depois dos escândalos, foi aprovada uma lei de transparência, proposta por Bachelet, limitando o financiamento dos candidatos. Segundo o candidato Guillier, um alto índice de abstenção favorecera seu rival, Piñera. Ele pediu aos 14,3 milhões de eleitores chilenos que saiam de casa, no domingo (19) para votar.

Para ser eleito no primeiro turno, Piñera precisa obter metade mais um dos votos. Segundo o analista politico Patrício Navia, o desafio dos candidatos de centro-esquerda vai ser o de se unirem em um eventual segundo turno, em 17 de dezembro.

Fonte: Agencia Brasil

Pagina 5 de 425

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top