Politica (487)

Estaduais preferem apoiar Azambuja e os federais querem André

A definição de aliança na sucessão estadual está dividindo o DEM em Mato Grosso do Sul. Os deputados federais Luiz Henrique Mandetta e Tereza Cristina se identificam mais com o MDB e os deputados estaduais Zé Teixeira e José Carlos Barbosa já manifestaram a preferência pelo apoio à reeleição do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

O presidente estadual democrata, Murilo Zauith, considerou normal esse racha, neste momento de discussão sobre aliança, por causa de interesse divergente dos parlamentares, mas afirmou estar trabalhando para unir o partido, até julho, dentro de um projeto eleitoral. “Hoje, os estaduais são atendidos pelo governo estadual e os federais pelo MDB, cada um defende o apoio que acha certo”, declarou.

No momento correto, ainda segundo o democrata, tudo será avaliado para poder então pensar na eleição. “O que for melhor para os cinco [parlamentares] o DEM vai seguir”, afirmou. Murilo disse ter conversado com todos os pré-candidatos a governador sobre aliança. Ele ainda considera prematuro tomar decisão antes de julho.

Em abril, os democratas divulgaram revelar apenas em julho qual decisão seria tomada em relação à coligação.

Fonte: Correio do Estado

Ex-governador de MG foi condenado a vinte anos e um mês de prisão no mensalão tucano, esquema que irrigou campanha dele em 1998 com dinheiro desviado

O ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB) se entregou à Polícia Civil de Minas Gerais na tarde desta quarta-feira, 23. O tucano, que era considerado foragido pela polícia, chegou à 1ª Delegacia Distrital de Belo Horizonte, no bairro Santo Antônio, por volta das 14h50. Os defensores dele e a polícia negociavam desde a noite da terça-feira, 22, as condições para que ele se apresentasse.

Azeredo está preso para cumprir a pena de vinte anos e um mês de prisão a que foi condenado no chamado “mensalão tucano”, esquema que corrupção irrigou sua campanha à reeleição em 1998 com 3,5 milhões de reais desviados de estatais mineiras. Nesta terça-feira, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) negou o último recurso possível do ex-governador contra sua condenação.

Fonte: Veja Abril

Depoimento ocorrerá na próxima terça-feira em Curitiba

Preso desde 7 de abril na sede da Polícia Federal em Curitiba, o ex-presidente Lula deixará a carceragem pela primeira vez na próxima terça-feira (29). Ela será levado à Justiça Federal da capital paranaense para depor, por meio de videoconferência, ao juiz Marcelo Bretas.

De acordo com o jornal O Globo, o petista será testemunha de defesa do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, também preso, no âmbito da Operação Unfair Play, que investiga suposta compra de votos para favorecer o Rio de Janeiro na disputa pelos Jogos Olímpicos de 2016.

Cabral também é acusado de chefiar um grande esquema criminoso para o desvio de dinheiro aplicado em obras relacionadas à Olimpíada.

Fonte: Noticias ao Minuto

Ex-ministro falou sobre a pré-candidatura do juiz federal Odilon de Oliveira

O pré-candidato à Presidência da República, ex-ministro Aldo Rebelo (SD), avaliou com preocupação o poder do Judiciário e Ministério Público (MP) em querer comandar o Brasil participando das eleições por ser julgarem “semideuses”.

Rebelo esteve em Campo Grande ontem (21) e afirmou que prestigiados pelo combate à corrupção, o Poder Judiciário e o MP podem fazer muitas vezes o que bem entendem. “Isso é um equívoco, não se faz democracia desse jeito”, alertou.

Questionado sobre o que achava da pré-candidatura de um magistrado, no caso o juiz federal aposentado, Odilon de Oliveira (PDT), ao governo do Estado, Rebelo considerou isso ser parte da democracia. “Qualquer um pode querer governar o Estado, pode ser magistrado, padre, freira, pode ser comerciante, médico, advogado, todos têm legitimidade. Na democracia é assim. Agora, o que diferencia é agenda desses pré-candidatos, o que julgam importante, o que querem fazer para melhorar”, avaliou.

Fonte: Correio do Estado

Encontro do MDB contou com a presença de diversas lideranças e do ex-ministro Henrique Meirelles

O MDB reuniu centenas de militantes e aliados políticos de outros partidos em Campo Grande para demonstrar força na disputa pela sucessão estadual. Até o ex-ministro da Fazenda e pré-candidato a presidente da República Henrique Meirelles participou do evento para apoiar o ex-governador André Puccinelli na corrida eleitoral.

No encontro do MS Maior e Melhor, realizado no sábado (19), na Associação Nipo Brasileira, André procurou tranquilizar quem ainda duvidasse de sua participação no processo eleitoral.

“Nossa candidatura é para valer e é para derrotar aqueles que ficam dizendo que eu não poderia ser candidato, que teria entraves”, declarou André. Ele disse ainda ser ficha-limpa, por não ter nenhuma condenação judicial.

É apenas investigado e denunciado em uma ação. “Nenhum candidato que não for ficha-limpa poderá ser registrado. E eu, dia 5 de agosto, terei candidatura registrada, porque sou ficha limpa”, ressaltou.

Fonte: Correio do Estado

O pré-candidato à Presidência da República pelo Solidariedade, Aldo Rebelo, cumpre agenda em Campo Grande nesta segunda feira (21). Rebelo será recebido pelos líderes da sigla em MS, deputado Herculano Borges, os vereadores Lucas Lima e Papy e a Executiva Estadual, às 9h no Aeroporto Internacional de Campo Grande.

Durante a manhã, o presidenciável do SD participa de uma entrevista no programa CBN Campo Grande, com Otávio Neto, e será recebido pelo governador Reinaldo Azambuja no Parque dos Poderes. À tarde, Aldo Rebelo participa de outro programa em rádio e atende a imprensa, participando de uma entrevista coletiva a partir das 13h45 no Hotel Vale Verde, à Av. Afonso Pena – 106 – Bairro Amambai.

Ainda na segunda-feira, na parte da tarde, de acordo com a assessoria do pré-candidato, o restante da sua agenda será de encontros com sindicalistas, estudantes, setores do agronegócio (empresários e produtores).

O ex-ministro Aldo Rebelo será candidato à Presidência da República pelo Solidariedade, em decisão anunciada no dia 13 abril pelo SD. Rebelo anunciou a saída do PSB por discordar da entrada no partido do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, na época possível candidato ao Planalto da sigla. "Aceitei o convite para ser candidato a Presidente pelo Solidariedade", disse Rebelo na ocasião.

Militante histórico do PCdoB, Rebelo deixou a sigla no ano passado. Como aliado dos governos petistas, foi presidente da Câmara (2005 a 2007) e ministro de Relações Institucionais (2004 a 2005), dos Esportes (2011 a 2015) e da Ciência e Tecnologia (2015), além do Ministério da Defesa, entre 2015 e 2016.

Fonte: A Crítica

Ex-ministro já passou pelo IML e segue direto para a Papuda

O ex-ministro José Dirceu deixou o prédio onde estava, no setor Sudoeste, em Brasília, pouco antes das 14h desta sexta-feira (18) e se entregou às autoridades.

Saíram do edifício um carro prateado com um homem no banco de trás que cobriu a cabeça com um pano para não ser fotografado. Minutos depois, o veículo de seu advogado também deixou a garagem do edifício.

O ex-ministro José Dirceu deixou o prédio onde estava, no setor Sudoeste, em Brasília, pouco antes das 14h desta sexta-feira (18) e se entregou às autoridades.

Saíram do edifício um carro prateado com um homem no banco de trás que cobriu a cabeça com um pano para não ser fotografado. Minutos depois, o veículo de seu advogado também deixou a garagem do edifício.

+ Planalto busca itens patrimoniais que sumiram nas gestões Lula e Dilma

O ex-ministro já passou pelo IML (Instituto Médico Legal de Brasília) e segue direto para o Complexo Penitenciário da Papuda.

Na quinta-feira (17), a 13ª Vara Federal expediu mandado de prisão contra Dirceu, depois que ele teve recurso negado no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), que se manifestou a favor da execução provisória da pena.

Em setembro de 2017, Dirceu teve sua pena aumentada na segunda instância para 30 anos e nove meses por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

O petista chegou a ser preso preventivamente em agosto de 2015, mas teve habeas corpus concedido pelo STF em maio de 2017. Caberá à 12ª Vara de Execução Penal julgar se o período em preventiva servirá para redução da pena.

Pela manhã, o deputado distrital Chico Vigilante (PT-DF), que é amigo do petista, disse que ele iria cumprir a decisão judicial que determinou sua prisão e se entregaria à PF antes do prazo final, marcado para as 17 horas desta sexta. Com informações da Folhapress.

Fonte: Noticias ao minuto

Juiz federal esteve em Dourados para visita do presidenciável Álvaro Dias

O juiz federal aposentado, Odilon de Oliveira (PDT), disse que caso o DEM tenha interesse em uma possível aliança ele e o partido estão de braços abertos desde que a aliança seja coerente ao grupo partidário. Odilon é pré-candidato ao Governo do Estado e tem liderado as pesquisas de intenção de votos.

“Em caso de interesse democrata, o nosso partido está de braços abertos para alianças nas urnas. Se o DEM quiser somar com a gente não há impedimento nenhum”, declarou.

Nas visitas que tem feito aos municípios sul-mato-grossense, o pré-candidato alegou ter ouvido a população defender uma mudança radical na política. O juiz também afirmou que o PDT está aberto para receber apoio de outros partidos, mas não fará aliança com legendas mal intencionadas.

Odilon esteve ontem (17) em Dourados e afirmou ao site de notícias Dourados News, que notou o desejo da população por uma mudança radical na maneira de executar a máquina pública. “A população sul-mato-grossense quer romper com o passado, com a corrupção, com os desmandos”, afirmou.

Fonte: Correio do Estado

Ex-governador assegurou que disputará sucessão estadual

O ex-governador André Puccinelli (MDB) confirmou ontem (16) a sua determinação de concorrer à sucessão estadual, disse estar aberto para receber aliados e não está entendendo a preocupação dos rivais políticos com a sua atuação.

“Os adversários vêm dizendo que eu não serei candidato ao governo”, afirmou. Ele garantiu, no entanto, a sua participação na disputa eleitoral e no próximo sábado pretende concluir o ciclo de reuniões regionais em Campo Grande.

André acredita na vitória, mesmo sofrendo ataques e sendo investigado pela Polícia Federal. “Estão todos preocupados comigo, não sei porquê?”, questionou. “Não vou jogar canivete nas costas de ninguém”, ressaltou.

O ex-governador fez essas declarações, ontem, em entrevista concedida na rádio CBN de Campo Grande. “Vou mostrar o que nós sabemos fazer. Quem tiver capacidade do que já fez ou do que faz, que mostre”, desafiou André.

Fonte: Correio do Estado

"Lula é um conciliador, nunca foi uma pessoa radical que não soubesse construir consensos, nem tampouco criar pontes", disse

importante que as eleições não sejam manipuladas, afirmou a ex-presidente petista Dilma Rousseff, em entrevista à rede britânica BBC, nesta quarta-feira (16), quando perguntada se os brasileiros aceitariam o resultado eleitoral em outubro sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso há um mês, no pleito.

"É importante que a população brasileira tenha convicção disso [da não manipulação]", disse Dilma. "Você não acha que houve um golpe no Brasil, eu acho que houve. E eu tenho mais experiência de golpe que o senhor", disse ao entrevistador Shaun Ley.

"Eu vivi um golpe da ditadura militar dentro de uma prisão. Eu sei a capacidade da elite brasileira de ser golpista. Há um processo no Brasil e ele tem que ser interrompido pelo bem dos brasileiros", afirmou a ex-presidente.

Para ela, quem pode ajudar a interromper esse processo e estabilizar as condições democráticas do país é Lula, que cumpre pena de 12 anos e um mês de prisão, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP).

"Temos que restabelecer as condições democráticas, inclusive nas instituições. Eu acredito, de uma forma muito forte, que o presidente Lula pode ajudar nessa estabilização", disse Dilma. "Eu acredito em mais do que isso. Preso ou solto, condenado ou absolvido, ele será necessariamente uma presença na reconstrução do Brasil."

O petista também é a resposta para a divisão do país, que vai da "Suprema Corte ao local mais humilde", segundo Dilma.

"Lula é um conciliador, nunca foi uma pessoa radical que não soubesse construir consensos, nem tampouco criar pontes", disse, lembrando que o ex-presidente é criticado pelas alianças que fez para governar. Com informações da Folhapress.

Fonte: Noticias ao Minuto

Pagina 1 de 35

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top