Brasileirão 2018 (104)

Com o resultado, o time alviverde chegou aos 59 pontos e manteve a diferença entre líder e vice-líder em três pontos

O Palmeiras superou mais um concorrente direto na briga pelo título. Assim como fez diante do São Paulo, o time de Luiz Felipe Scolari derrotou neste domingo, 14, no Pacaembu, o Grêmio, por 2 a 0 – mesmo placar feito sobre o rival, inclusive –, com propriedade e garantiu mais uma rodada na liderança isolada do Campeonato Brasileiro, restando nove para o término da competição.

Com o resultado, o time alviverde chegou aos 59 pontos e só não conseguiu ampliar a vantagem na liderança por culpa do Internacional, que venceu de virada o São Paulo, no Beira-Rio, e manteve a diferença entre líder e vice-líder em três pontos. Já os gremistas permanecem com 51 pontos e veem a ponta da tabela se distanciando ainda mais.

Palmeiras e Grêmio adotaram posturas completamente diferentes, e ambas válidas. O time da casa foi para o ataque, como tem se tornado sua principal característica nos últimos jogos, e tentou resolver a partida o quanto antes. Com velocidade e uma tarde inspirada de Dudu, os palmeirenses sufocaram o desfalcado time gremista, que tentava tirar o ritmo intenso do jogo e apostar nos toques, em busca de espaço na zaga.

Mas o planejamento gremista foi prejudicado logo aos sete minutos, quando Dudu fez boa jogada pela direita e cruzou para Deyverson desviar e abrir o placar. O polêmico atacante vive uma fase de ouro. Na comemoração, dedicou o gol ao jovem Nickollas, torcedor deficiente visual que ficou famoso por ir em diversos jogos do Palmeiras no estádio. "Ele é um exemplo", disse o jogador.

O Grêmio tentou responder rápido e brecou na boa organização tática do líder do Brasileiro. Luan, a estrela gremista, tentou cair pela direita, mas teve atuação discreta. Na verdade, quem quase marcou mais um foi o Palmeiras, que viu Bruno Henrique chutar sem goleiro e Cícero salvar em cima da linha.

A partida continuou bem disputada no segundo tempo, embora as chances de gol tenham diminuído, por méritos das defesas. Os espaços deixados pelos gremistas no primeiro tempo deixaram de existir e o Palmeiras teve mais dificuldade. Em uma das oportunidades criadas, Dudu saiu cara a cara com Paulo Victor, mas o gremista levou a melhor.

Além das boas marcações, as duas equipes passaram também a errar muitos passes e fizeram com que a partida caísse de rendimento nos minutos finais. Então, coube ao iluminado Deyverson garantir a vitória, com direito a uma falha grosseira de Bressan.

Aos 33, a bola foi lançada em direção ao ataque palmeirense. Bressan se atrapalhou na tentativa de dominar a bola, Deyverson lutou para ganhar no jogo de corpo e bateu na saída de Paulo Victor. Gol com a assinatura do atacante, um lance de pouca técnica, mas muita vontade e esforço. E assim, o Palmeiras deixou para trás mais um concorrente e mostrou que será difícil tirá-lo da ponta da tabela.

Fonte: Band

O Sport, com 27 pontos, vice-lanterna, espera ser superior ao adversário, o Atlético Paranaense, que está na 10ª colocação, com 36 pontos

Enquanto o Flamengo lutava para chegar à liderança e Paraná brigava para sair da zona de rebaixamento, na rodada desse sábado (13), o cenário não vai mudar para os jogos deste domingo (14). O Sport, com 27 pontos, vice-lanterna, espera ser superior ao adversário, o Atlético Paranaense, que está na 10ª colocação, com 36 pontos.

O São Paulo, que enfrenta o Internacional, que caiu para a terceira colocação após a vitória do Flamengo por 3 a 0 sobre o Fluminense, também tenta voltar ao topo da tabela. A Chapeconese (31 pontos), tem que derrotar o rival Vitória para não ser prejudicado e cair para o Z4.

Veja os jogos deste domingo:

Chapecoense x Vitória - às 11, na Arena Condá

Vasco x Cruzeiro - 16h, em São Januário

Palmeiras x Grêmio - 16h, no Pacaembu

Internacional x São Paulo - 16h, no Beira-Rio

Atlético-MG x América-MG - 19h, no Independência

Atlético-PR x Sport - 19h, na Arena da Baixada

Fonte: Noticias ao minuto

Artilheiro do Flamengo na temporada, o meia Lucas Paquetá comemorou a atuação diante do Corinthians. O camisa 11 foi responsável por dois gols dos três da partida, e confessou que os treinos durante a semana foram importantes para o técnico Dorival Júnior corrigir alguns problemas da equipe.

  

— Consertamos alguns detalhes, demos a vida, o suor, e graças a Deus conseguimos os três pontos — afirmou.

 

Para Paquetá, o resultado contra o Corinthians pode servir como impulso para a reta final do Brasileiro.

— A gente tem um sonho e vai fazer por onde. Sabemos que tem que mudar algumas coisas, mas queremos conquistar grandes coisas.

Fonte: Extra

Na estreia do técnico Dorival Júnior, o Flamengo não deu sinais de mudanças, voltou a jogar mal, e empatou sem gols com o Bahia, pelo Brasileiro. O resultado, contra o time que beira a zona de rebaixamento, impediu que a equipe assumisse, de forma momentânea, a liderança. Com 49 pontos, o rubro-negro caiu para a quinta posição, e deixou o G-4.

O novo treinador, apresentado na manhã da partida, dará início de fato ao trabalho a partir de amanhã. O próximo jogo é na sexta-feira, contra o Corinthians.

— Sobrou para o treinador (Barbieri), mas a maior parte da culpa é nossa — disse Everton Ribeiro.

Sem o goleiro Diego Alves e o meia Diego, os outros candidatos a destaques da equipe não foram bem. Paquetá e Everton Ribeiro não criaram praticamente nada. E Vitinho voltou ao time titular em branco, com nova atuação ruim. A estrutura do Flamengo como um todo se manteve sob o comando de Dorival.

Sem tempo para treinar, o técnico atestou a volta de Vitinho pela ponta esquerda, decisão que se mostrou equivocada. O atacante não teve capacidade física para abrir o jogo, e o time ficou sem atacar por aquele lado. Trauco ficou preso na marcação e Paquetá pouco aproximou.

Na direita, Everton Ribeiro também ficou isolado, o que fez Lincoln participar pouco e ter que sair da área. O Bahia, sem nada com isso, demonstrou muito mais intensidade e levou perigo mais vezes. O time da casa reclamou de dois pênaltis, duvidosos. No segundo tempo, o Flamengo melhorou, pressionou, mas não saiu do zero.

Faltam 11 jogos para o fim do campeonato.

Fonte: Extra.globo

Tricolor sai na frente, mas cede empate por 1 a 1 e deixa o gramado vaiado pela torcida no Morumbi

O líder São Paulo caminhava para mais uma vitória tranquila em casa, mas vacilou neste sábado, sofreu o empate do América-MG por 1 a 1 no Morumbi e o tropeço pode custar caro. Com 51 pontos o time de Diego Aguirre terá de torcer contra o Internacional (49), que enfrenta o Corinthians, neste domingo, em Itaquera, para se manter na liderança do Campeonato Brasileiro.

Além disso, ao deixar de somar três pontos, o São Paulo falha no Morumbi antes de ter pela frente uma sequência complicada. Na próxima rodada do Brasileirão, o time de Aguirre visita o Botafogo, domingo, no Engenhão. Depois terá o clássico com o Palmeiras no Morumbi, no dia 6 de outubro, e o jogo com Internacional, dia 14, em Porto Alegre. Confira aqui a tabela completa.

Sem Bruno Alves, suspenso, e Bruno Peres, ainda se recuperando fisicamente após sofrer uma lesão, Aguirre optou por começar o jogo com Rodrigo Caio. No desenho tático, no entanto, o time não atuava com três zagueiros. O jogador, que ficou afastado por exatos cinco meses - se contundiu no dia 22 de abril -, atuava como lateral-direito, com Arboleda e Anderson Martins no miolo da defesa.

Na parte ofensiva, o treinador, que não contava com Everton e Rojas, reforçou o meio de campo com Liziero ao lado de Jucilei e Hudson e deu mais uma chance para Everton Felipe. Nenê ganhou mais liberdade e Diego Souza, como de costume, era o homem de referência no ataque.

Os primeiros minutos já deixaram claro que o São Paulo encontraria muita dificuldade para furar o bloqueio defensivo do América-MG. Faltava velocidade pelos lados do campo, espaço sempre bem aproveitado por Rojas e Everton. A equipe trocava a bola nas proximidades da área, mas, quando buscava dar profundidade ao lance, pecava no passe.

Não à toa, o São Paulo só conseguiu finalizar pela primeira vez aos 36 minutos. Mesmo assim, Diego Souza, em uma bicicleta na área, errou o alvo. A jogada nasceu em um escanteio que Hudson escorou de cabeça e o atacante mandou por cima do travessão de João Ricardo.

Na segunda chance, o artilheiro do São Paulo no Brasileirão não desperdiçou e fez os torcedores, que já estavam apreensivos, respirarem aliviados no Morumbi. Aos 45, Nenê cobrou falta curta para Reinaldo pelo lado esquerdo, recebeu de volta e cruzou com perfeição para Diego Souza, que cabeceou no canto.

"Agora eles têm de sair mais, vamos ver se conseguimos matar o jogo", sentenciou Diego Souza na saída para o intervalo após anotar o nono gol na competição.

A declaração do são-paulino, pelo menos em relação ao posicionamento do América-MG, se confirmou assim que os times voltaram para o segundo tempo. Adilson Batista trocou o volante David pelo atacante Wesley Pacheco. Não adiantava apenas mais se defender.

Aguirre esperou 15 minutos e, ao notar que o time diminuiu um pouco o ritmo, fez duas mudanças para tentar definir o jogo. Colocou Régis aberto pelo lado direito, para ocupar o espaço que não foi aproveitado por Everton Felipe, e Tréllez na vaga de Liziero para ganhar mais presença ofensiva.

Adilson respondeu com Matheusinho e Robinho. O São Paulo teve chance de matar o jogo, como queria Diego Souza na saída para o intervalo, mas Reinaldo atrapalhou uma finalização de Nenê na área e, pouco depois, os dois jogadores que entraram participaram do gol de empate. Matheusinho marcou no rebote de Sidão.

O São Paulo ainda tentou buscar o gol da vitória nos minutos finais, mas não conseguiu. As declarações de Diego Souza se confirmaram, porém de uma maneira negativa para o ainda líder do Campeonato Brasileiro.

Para o América-MG, o empate o fez chegar aos 31 pontos, ocupando agora a provisória 10ª colocação da tabela.

Fonte: Band

O líder São Paulo caminhava para mais uma vitória tranquila em casa, mas vacilou neste sábado, sofreu o empate do América-MG por 1 a 1 no Morumbi e o tropeço pode custar caro. Com 51 pontos o time de Diego Aguirre terá de torcer contra o Internacional (49), que enfrenta o Corinthians, neste domingo, em Itaquera, para se manter na liderança do Campeonato Brasileiro.

Além disso, ao deixar de somar três pontos, o São Paulo falha no Morumbi antes de ter pela frente uma sequência complicada. Na próxima rodada do Brasileirão, o time de Aguirre visita o Botafogo, domingo, no Engenhão. Depois terá o clássico com o Palmeiras no Morumbi, no dia 6 de outubro, e o jogo com Internacional, dia 14, em Porto Alegre. Confira aqui a tabela completa.

Sem Bruno Alves, suspenso, e Bruno Peres, ainda se recuperando fisicamente após sofrer uma lesão, Aguirre optou por começar o jogo com Rodrigo Caio. No desenho tático, no entanto, o time não atuava com três zagueiros. O jogador, que ficou afastado por exatos cinco meses - se contundiu no dia 22 de abril -, atuava como lateral-direito, com Arboleda e Anderson Martins no miolo da defesa.

Na parte ofensiva, o treinador, que não contava com Everton e Rojas, reforçou o meio de campo com Liziero ao lado de Jucilei e Hudson e deu mais uma chance para Everton Felipe. Nenê ganhou mais liberdade e Diego Souza, como de costume, era o homem de referência no ataque.

Os primeiros minutos já deixaram claro que o São Paulo encontraria muita dificuldade para furar o bloqueio defensivo do América-MG. Faltava velocidade pelos lados do campo, espaço sempre bem aproveitado por Rojas e Everton. A equipe trocava a bola nas proximidades da área, mas, quando buscava dar profundidade ao lance, pecava no passe.

Não à toa, o São Paulo só conseguiu finalizar pela primeira vez aos 36 minutos. Mesmo assim, Diego Souza, em uma bicicleta na área, errou o alvo. A jogada nasceu em um escanteio que Hudson escorou de cabeça e o atacante mandou por cima do travessão de João Ricardo.

Na segunda chance, o artilheiro do São Paulo no Brasileirão não desperdiçou e fez os torcedores, que já estavam apreensivos, respirarem aliviados no Morumbi. Aos 45, Nenê cobrou falta curta para Reinaldo pelo lado esquerdo, recebeu de volta e cruzou com perfeição para Diego Souza, que cabeceou no canto.

"Agora eles têm de sair mais, vamos ver se conseguimos matar o jogo", sentenciou Diego Souza na saída para o intervalo após anotar o nono gol na competição.

A declaração do são-paulino, pelo menos em relação ao posicionamento do América-MG, se confirmou assim que os times voltaram para o segundo tempo. Adilson Batista trocou o volante David pelo atacante Wesley Pacheco. Não adiantava apenas mais se defender.

Aguirre esperou 15 minutos e, ao notar que o time diminuiu um pouco o ritmo, fez duas mudanças para tentar definir o jogo. Colocou Régis aberto pelo lado direito, para ocupar o espaço que não foi aproveitado por Everton Felipe, e Tréllez na vaga de Liziero para ganhar mais presença ofensiva.

Adilson respondeu com Matheusinho e Robinho. O São Paulo teve chance de matar o jogo, como queria Diego Souza na saída para o intervalo, mas Reinaldo atrapalhou uma finalização de Nenê na área e, pouco depois, os dois jogadores que entraram participaram do gol de empate. Matheusinho marcou no rebote de Sidão.

O São Paulo ainda tentou buscar o gol da vitória nos minutos finais, mas não conseguiu. As declarações de Diego Souza se confirmaram, porém de uma maneira negativa para o ainda líder do Campeonato Brasileiro.

Para o América-MG, o empate o fez chegar aos 31 pontos, ocupando agora a provisória 10ª colocação da tabela.

A Chapecoense venceu o Internacional por 2 a 1, nessa segunda-feira, na Arena Condá, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro. Numa partida emocionante, o Colorado saiu na frente, mas permitiu a virada dos catarinenses. Mais determinados, os donos da casa acabaram sendo mais objetivos com os gols de Leandro Pereira. Para os vermelhos fez Nico López. Além disso, brilhou a estrela do goleiro Jandrei, que defendeu uma penalidade Leandro Damião.

Com o resultado, a Chapecoense saltou para o 16º lugar, com 28 pontos. O Internacional perdeu a liderança e caiu para o segundo lugar, com 49 pontos. De quebra, a escrita continua: o Colorado segue sem vencer no Oeste Catarinense.

Na próxima rodada, a Chapecoense recebe, no dia 24, segunda, o Fluminense, às 20h (de Brasília), na Arena Condá. Já o Internacional visita o Corinthians no domingo, às 16h (de Brasília), na Arena Alvinegra.

O JOGO

Em rápida jogada de contra-ataque no começo do jogo, o Inter já levou susto a meta de Jandrei. Aos dois, na velocidade, Edenílson avançou pela direita e acionou Nico López. Dentro da área, o uruguaio chutou de pé esquerdo, na rede pelo lado de fora. A Chape não se intimidou, foi para cima e explorou as laterais do campo. Aos sete, Diego Torres cobrou colocado, buscando o ângulo de Marcelo Lomba.

Uma partida bem franca, entre as duas equipes que buscam o gol. O Colorado tem levado vantagem pelo lado direito, principalmente com o atacante Nico López. Por sua vez, a Chape procurou levantar bolas aéreas para aproveitar a estatura de seus atacantes.

Numa ligação direta de Cuesta, aos 24, Pottker é acionado pela esquerda dentro da área e tentou o domínio. Rafael Thyere chegou de carrinho e tocou a bola. Jandrei entrou atrasado e derrubou o camisa 99 na área. Aos 25, Nico López esbanjou categoria na cobrança e deslocou Jandrei, que caiu para o canto esquerdo.

Depois de levar o gol, os donos da casa, foram para cima na tentativa de buscar o empate. Aos 31, Eduardo chutou de longe. Cuesta entrou de cabeça e mandou para fora, mas a bola saiu com muito perigo. Aos 32, Diego Torres cobrou a falta com categoria. A bola explodiu no travessão de Marcelo Lomba. A resposta Colorado veio, aos 34, Nico cobrou escanteio na cabeça de Gabriel Dias, que subiu sozinho e desviou para fora, com perigo.

Após insistir tanto em bola alta, o time catarinense chegou a igualdade. Aos 36, Eduardo avançou pela direita, passou por Pottker e cruzou para Leandro Pereira. O centroavante ganhou de Rodrigo Moledo e cabeceou no canto direito de Lomba. Muito equilíbrio nas ações do jogo, com a Chape apelando para a bola parada. Enquanto o Inter tem encontrado dificuldades na marcação pelos lados do campo. Do meio pra frente, os vermelhos precisam acelerar a transição.

Os visitantes tem sofrido bastante com as jogadas de Victor Andrade e Doffo pelas laterais. A equipe vermelha está muito recuada e tem perdido a maioria dos rebotes.

Com a Chape se soltando para o ataque, começou a surgir espaços para o contra-ataque do Inter. Aos 10, Nico López dominou e acionou Jonatan Alvez, que saiu sozinho no campo de defesa da Chape. O atacante avançou, invadiu a área e chutou sobre Jandrei. No minuto seguinte, Victor Andrade arriscou de longe e mandou por cima do gol. Aos 13, Leandro Pereira ganhou da zaga colorada e cabeceou fraco. Lomba faz a defesa. Em mais uma atuação que deixou a desejar, o centroavante Jonatan Alvez foi substituído por Leandro Damião.

Por pouco, os gaúchos não pularam na frente do marcador. Aos 19, Edenílson dominou na entrada da área e percebeu a movimentação de Leandro Damião. O volante tentou a enfiada para o centroavante, mas Jandrei vai bem e ficou com a bola. Uma das característica dos times de Guto Ferreira sempre foi apostar nas jogadas aéreas.

Mostrando mais ambição de querer vencer, a Chapecoense conseguiu a virada. Aos 32, Bruno Silva avançou pela direita e cruzou para Leandro Pereira, que finalizou de pé direito. A bola bateu no braço de Víctor Cuesta, que entrou de carrinho para bloquear o chute. Penalidade marcada em favor dos catarinenses. O argentino foi mais cedo para o chuveiro. Aos 36, Leandro Pereira cobrou com categoria e deslocou Marcelo Lomba. Bola para a direita, goleiro para o lado esquerdo. Aos 41, Doffo arrancou pela esquerda, invadiu a área após passar por Gabriel Dias e tentou o chute de pé esquerdo.

Tentando um jogador a menos em campo, o Internacional se soltou para o ataque e levou perigo em três oportunidades. Aos 44, D’Alessandro dominou pelo meio e tabelou com Iago. O argentino chutou colocado, no centro do gol. Jandrei espalmou e salvou a Chape. Aos 45, após bola levantada para a área, Damião desviou de cabeça. Moledo completou na pequena área, e a bola saiu com muito perigo. Aos 46, D’Alessandro acionou Damião pela direita. O centroavante cruzou para Camilo, que entrou no primeiro poste e completou para fora, já dentro da pequena área. Aos 48, D’Alessandro cruzou da direita para a área. Leandro Damião é empurrado por Barreto dentro da área. O árbitro assinalou pênalti.

Mais uma vez o Colorado desperdiçou a assumir a liderança novamente. Aos 49, Damião cobrou forte, no canto direito de Jandrei, mas à meia altura. O goleiro voou e faz grande defesa. Aos 51, D’Alessandro cobrou falta para a área. Damião desviou de cabeça, e Jandrei salvou a Chape mais uma vez. Milagre do goleiro da Chapecoense.

FICHA TÉCNICA:
CHAPECOENSE 2 X 1 INTERNACIONAL

Local: Arena Condá, em Chapecó-SC
Data: 17 de Setembro de 2018, segunda-feira
Horário: 20h (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (Fifa-RJ)
Assistentes: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Carlos Henrique Alves de Lima Filho(RJ)
Renda: R$ 847.505,00
Público Total: 16.981 pagantes
Cartões amarelos: Doffo, Rafael Thyere (Chapecoense); Patrick, Cuesta, Gabriel Dias (Inter).
Cartão vermelho: Victor Cuesta (Inter)

GOLS
Chapecoense: Leandro Pereira, aos 36 minutos do 1T e aos 36 minutos do 2T.
Internacional: Nico López, aos 25 minutos do 1T

CHAPECOENSE: Jandrei; Eduardo (Barreto), Rafael Thyere, Nery Bareiro e Bruno Pacheco; Elicarlos, Marcio Araújo, Diego Torres (Yann Rolim) e Doffo; Victor Andrade (Bruno Silva) e Leandro Pereira.
Técnico: Guto Ferreira

INTERNACIONAL: Marcelo Lomba, Zeca, Rodrigo Moledo, Cuesta e Iago, Gabriel Dias, Edenílson, Patrick e Nico López (D’Alessandro), Pottker (Camilo) e Jonatan Alvez (Leandro Damião).
Técnico: Odair Hellmann

Fonte: Correio do Estado

Santos e São Paulo não balançaram as redes da Vila Belmiro, neste domingo (16), encerrando a partida pela 25º rodada do Campeonato Brasileiro em 0 a 0. Mesmo com o empate, o clube paulista segue na liderança do Campeonato Brasileiro.

Como um bom clássico, ambos os times mostraram preparo e foram para cima, apresentando uma boa preparação. O Santos, que tinha o mandado de campo, demonstrou melhores chances no primeiro tempo, de acordo com o Globo Esporte.com.


Foi com Rodrygo que, por pouco, o Peixe não saiu na frente aos 27 minutos do segundo tempo. Com o resultado, o São Paulo agora possui 50 pontos, estamos na primeira colocação, a um ponto do segundo colocando, o Internacional.

Já o Santos agora ocupa a 8ª colocação, com 32 pontos. O clube luta para se aproximar do 6-6, estando a oito pontos do sexto colocado.

Fonte: Campo Grande News

A conturbada semana do Vasco se encerra neste sábado (15) com um desafio dos grandes: clássico com o Flamengo.

A equipe cruzmaltina encara seu maior rival a partir das 19h, no Mané Garrincha, em Brasília, sob a crescente ameaça de rebaixamento no Campeonato Brasileiro -é a 17ª colocada, com 24 pontos, um a menos que o primeiro time fora da zona de descenso, a Chapecoense; tem ainda um jogo a menos em relação aos rivais.

Na última segunda (10), um dia após a derrota para Vitória por 1 a 0, em Salvador, a delegação vascaína precisou utilizar uma saída alternativa no desembarque no Rio. Ainda assim, não evitou protestos.

Torcedores organizados picharam a sede do clube, em São Januário, com mensagens contra o presidente Alexandre Campello e arremessaram ovos na fachada do prédio. Na terça (11), as manifestações continuaram.

Torcedores foram ao CT do Almirante, em Vargem Pequena, na zona oeste do Rio, cobrar jogadores na saída do treinamento. Um dos ameaçados, conforme vídeo que circula na internet, o zagueiro Luiz Gustavo ouviu que a torcida iria quebrar tudo em caso de derrota no clássico.

Já na quarta (12), elenco e comissão técnica vascaínas receberam cerca de 50 torcedores organizados para uma reunião no mesmo centro de treinamento. Em tom mais ameno, o grupo expôs a insatisfação com a má fase do time, que garantiu empenho para se recuperar no Brasileiro.

"O encontro foi muito positivo, porque vieram para nos apoiar, para fazer com que nós tenhamos a certeza de que eles estarão do nosso lado", disse o técnico Alberto Valentim, que ainda não venceu no comando da equipe, com quatro derrotas.

Os flamenguistas, por sua vez, evitam tratar da crise vascaína. O zagueiro e capitão Revér ponderou que o Flamengo tem seus próprios problemas e precisa provar que se mantém na briga pelo título brasileiro -é o quarto colocado, com 44 pontos, cinco a menos que os líderes Internacional e São Paulo.

"Não temos nada a ver com eles. Cada time tem a sua preocupação. Vamos em busca da vitória. Só que clássico não tem favorito e pode ser um divisor de águas. Muitos já dizem que não brigamos por títulos, acho que as pessoas estão confusas sobre isso. Trabalhamos para melhorar e evoluir", disse.

Sem desfalques, o Flamengo deverá ir a campo com os mesmos titulares do empate sem gols com o Corinthians na última quarta, pela ida das semifinais da Copa do Brasil. Já o Vasco terá de lidar com as ausências de Yago Pikachu, suspenso, e Wagner, que conseguiu rescisão na Justiça por atrasos em seus vencimentos.

Valentim não confirmou quem serão os substitutos. O técnico do Vasco fechou o treinamento desta sexta (14), no estádio Bezerrão, também na capital federal. Um grupo de torcedores que aguardava a possibilidade de acompanhar a preparação do time acabou protestando do lado de fora.

VASCO
Martín Silva; Lenon, Werley, Leandro Castán e Ramon; Raul, Andrey, Willian Maranhão, Thiago Galhardo; Andrés Rios e Maxi López. T.: Alberto Valentim


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
FLAMENGO
Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê; Cuéllar, Lucas Paquetá e Diego; Éverton Ribeiro, Vitinho e Fernando Uribe. T.: Maurício Barbieri

Estádio: Mané Garrinha, em Brasília (DF)
Horário: 19h deste sábado
Juiz: Luiz Flavio de Oliveira (SP)

Fonte: Folhapress

Deyverson marca no segundo tempo e garante triunfo alviverde por 1 a 0 no Allianz Parque

Se os grandes clássicos são marcados por personagens, o encontro deste domingo entre Palmeiras e Corinthians foi o de Deyverson. O antes criticado e vaiado atacante foi desta vez herói e marcou o gol da vitória palmeirense por 1 a 0 sobre o rival no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro, em resultado que marcou a primeira partida do treinador Jair Ventura no comando corintiano.

A partida poderia ser resumida em ataque contra defesa. O Palmeiras formado apenas por três titulares dos jogos recentes (Weverton, Felipe Melo e Dudu) lutou, criou e buscou o gol o tempo todo contra um Corinthians em reformulação. A troca de treinador nesta semana, com a saída de Osmar Loss, deixou a equipe apenas com a ambição de se defender e manter o empate sem gols.

O desejo do Palmeiras de voltar a vencer o rival e a estreia do técnico Jair Ventura no Corinthians não fizeram o clássico ser movimentado. Pelo contrário. No começo, muitas faltas, preocupação com a marcação, passes errados e poucas chances de gol. O time alvinegro conseguiu se reorganizar na defesa como há tempos não se via e demorou para começar a ser pressionado.

Com um jogo sem emoção, as maiores alegrias da torcida no primeiro tempo foram comemorar uma bolada de Felipe Melo em Romero e de Jadson no árbitro. O Corinthians só atacou uma vez. O Palmeiras inverteu posições no ataque para tentar criar jogadas e só começou a chutar a gol perto do intervalo. Um chute cruzado e um cabeceio de Deyerson para foram as ocasiões mais perigosas.

O técnico Luiz Felipe Scolari decidiu ousar para o segundo tempo. Diante de um Corinthians totalmente dedicado a se defender, tirou o volante Thiago Santos e colocou o meia Moisés para ter mais opções de criação e aumentar a pressão sobre o rival. O Palmeiras ganhou mais repertório para trocar passes e, de tanto insistir, o gol saiu aos 11 minutos. Marcos Rocha cruzou para Deyverson se desmarcar e tirar de Cássio.

A vantagem deixou a partida mais movimentada, finalmente, tanto no futebol como nas discussões. O Corinthians fez logo as três substituições para buscar o empate e o Palmeiras encontrou mais espaços. Dudu quase fez um gol histórico após driblar vários adversários e chutar no travessão. O time alvinegro queria reagir, mas esbarrava na própria limitação técnica e pouco ameaçava.

As divididas ficaram mais ríspidas e o clima tenso se estendeu ao do lado de fora. Houve discussão entre os integrantes dos bancos de reservas. Felipão acabou expulso. A última ordem dele à beira do gramado por substituir Deyverson antes que ele recebesse o cartão vermelho. O atacante saiu depois de fazer gol discutir com adversários e ter o nome gritado pela torcida.

Cinco meses depois de polêmica final do Campeonato Paulista, o Palmeiras conseguiu se recuperar das seguidas derrotas para o rival. O time se mantém na perseguição aos líderes do Brasileiro e agora abriu 16 pontos de vantagem para o Corinthians, uma distância que evidencia o momento atual dos rivais - o time alviverde é o terceiro colocado, com 46 pontos, enquanto o rival está na zona intermediária da classificação, com 30.

Os times voltarão a jogar na quarta-feira pelas semifinais da Copa do Brasil. O Palmeiras receberá o Cruzeiro no seu estádio, enquanto o Corinthians vai visitar o Flamengo, no Maracanã.

Fonte: Band

Foi o adversário certo, no momento adequado. A fragilidade da Chapecoense, que mostrou no Maracanã ser forte candidata ao rebaixamento, era tudo o que o Flamengo precisava para voltar a vencer e afastar, ao menos momentaneamente, a crise que já era latente na Gávea. Com facilidade, o Rubro-negro jogou o suficiente para vencer por 2 a 0 e dedicar o triunfo a Juan. O zagueiro sofreu uma ruptura no tendão de Aquiles do tornozelo direito, lesão que pode ter decretado o fim de sua carreira.

O experiente defensor de 39 anos foi lembrado nos dois gols. A homenagem mais marcante ocorreu após o segundo, marcado por Diego, de pênalti, aos 11m da etapa final. Na comemoração, a camisa 4 foi exibida pelos jogadores. Antes, Renê, autor do primeiro, aos 43m do primeiro tempo, já havia dedicado seu gol a ele.


A vitória ainda ameniza a pressão sobre o técnico Maurício Barbieri, já contestado pela queda de rendimento do time no pós-Copa. A três dias do início do duelo contra o Corinthians, pela semifinal da Copa do Brasil, a corda no pescoço do treinador ficou mais frouxa. Os pedidos por sua demissão já começavam a ganhar força.

Foi a primeira vitória no Brasileiro após três tropeços seguidos, o que impediu que a distância para a ponta da tabela aumentasse. Os rubro-negros chegaram aos 44 pontos e dormem na terceira colocação, com cinco a menos do que o São Paulo, que reassumiu a ponta ao vencer o Bahia, também neste sábado. No domingo, precisa secar o Palmeiras para se manter entre os três primeiros.

A noite também ficou marcada pelo retorno do atacante Berrío, que voltou a jogar depois de onze meses ausente se recuperado de lesão. O colombiano entrou no fim e não chegou a contribuir efetivamente para o resultado.

Fonte: Extra.globo

Pagina 1 de 8

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top