Economia (248)

Investidores reagem aos resultados da pesquisa Ibope/Estado/TV Globo

O dólar bateu R$ 4 por volta do meio-dia desta terça-feira (21), com o mercado reagindo a resultados de pesquisas para o cenário eleitoral brasileiro de outubro.

Às 12h02 (horário de Brasília), a moeda avançava 0,90%, para R$ 3,994.

Investidores reagem aos resultados da pesquisa Ibope/Estado/TV Globo, divulgada na noite desta segunda-feira (20). Nume cenário sem o ex-presidente Lula (PT), o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) lidera as intenções de voto à Presidência com 20% da preferência do eleitorado, seguido por Marina Silva (Rede), com 12%, e Ciro Gomes (PDT), com 9%.

O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, teria 7% das intenções de voto, e aparece tecnicamente empatado com o provável substituto de Lula, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), que tem 4%.

"O mercado não considerava até poucos dias atrás um cenário sem Alckmin no segundo turno, mas já começou a precificá-lo", afirmou o economista da corretora Nova Futura, Pedro Paulo Silveira. Alckmin é, até o momento, o candidato preferido do mercado, que o vê como um nome mais reformista.

Na véspera, o dólar já havia fechado em R$ 3,958, maior patamar desde fevereiro de 2016, também refletindo resultados de pesquisa eleitoral.

O levantamento CNT/MDA mostrou, em um cenário com Lula, que o petista lidera as intenções de voto, com a preferência de 37,3% dos eleitores ouvidos na pesquisa estimulada. Em segundo lugar, Bolsonaro registrou 18,3%. Alckmin atingiu 4,9%, atrás de Marina, com 5,6%.

Segundo analistas, investidores ainda esperam, no entanto, que o início da campanha eleitoral na TV e no rádio possa impulsionar a campanha de Alckmin. A aliança entre o tucano e o chamado centrão rendeu ao candidato quase 40% do tempo de TV na disputa.

"Bolsonaro tem um piso de intenção de voto sólido, mas seu teto também é claro. Seus desafios seguem os mesmos: diminuir a rejeição e ser mais competitivo em um eventual segundo turno. Marina está em segundo lugar e se mostra forte na disputa do segundo turno. Haddad ainda têm espaço para crescer com maior exposição no Nordeste e herança de votos de Lula [...] Alckmin está estacionado e aposta as fichas no seu largo tempo de TV", escreveu a Guide Investimentos em relatório.

TRUMP E FED

No exterior, 25 das 31 principais divisas do mundo seguiam direção contrária à do real e avançavam em relação ao dólar, após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltar a criticar o banco central do país por elevar a taxa de juros.

Trump disse nesta segunda que não está animado com o presidente do Federal Reserve (BC dos EUA), Jerome Powell, nomeado por ele próprio no ano passado para substituir Janet Yellen. O presidente americano afirmou ainda que o Fed deveria ser mais expansionista.

"Não estou animado com os aumentos de juros dele, não", disse Trump em entrevista à agência Reuters.Segundo ele, outros países se beneficiaram das medidas dos seus bancos centrais durante duras negociações comerciais, mas os Estados Unidos não estariam recebendo apoio do Fed.

"Estamos negociando de forma muito forte com outros países. Nós vamos vencer. Mas durante este período de tempo eu deveria receber alguma ajuda do Fed. Os outros países estão acomodados", declarou.

O Fed elevou os juros duas vezes neste ano e espera-se que ele aumente de novo as taxas no mês que vem.

Juros mais altos fortalecem o dólar ao atraírem para a maior economia do mundo recursos até então alocados em países de risco maior, mas prêmio teoricamente mais elevado, como o Brasil.

Quando Trump critica as taxas nos EUA, o efeito é o contrário: investidores entendem que o rendimento está ameaçado em dólar e buscam opções em ativos de risco maior, como ações e divisas de países emergentes.

Das 24 moedas emergentes, 18 ganhavam força em relação ao dólar, enquanto Bolsas globais operavam no azul.

O Dow Jones, principal índice de Nova York, avança 0,29%. O MSCI, índice de referência dos mercados emergentes, subia cerca de 1%.

O Ibovespa, índice que reúne as ações mais negociadas no Brasil, no entanto, recuava 0,21%, para 76.228,79, também refletindo incertezas eleitorais.

Para os dois cenários o Ibope ouviu 2.002 eleitores, em 142 municípios, entre os dias 17 e 19 de agosto. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-01665/2018.

A pesquisa CNT/MDA foi realizada entre os dias 15 e 18 de agosto de 2018 e ouviu 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 estados. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais, com 95% de nível de confiança.

A pesquisa está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-09086/2018. Com informações da Folhapress.

Fonte: Noticias ao minuto

 

O valor do produto ficou em torno dos R$ 3,03 em Campo Grande e R$ 3,13 em todo o estado

Depois de sofrer uma pequena alta, o preço médio do etanol voltou a cair e bater recordes. Segundo pesquisa da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível), o valor do produto ficou em torno dos R$ 3,03 em Campo Grande e R$ 3,13 em todo o estado, os menores de 2018 até o momento.

Esse levantamento é feito por amostragem. Funcionários do órgão percorreram 87 postos distribuídos em Corumbá, Coxim, Dourados, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas, além da Capital, entre os dias 12 e 18 de agosto.


Os resultados estaduais apontam queda de 0,88% no preço do combustível em relação aos resultados anteriores, quando o produto girava em torno dos R$ 3,16.

Na prática, o etanol mais barato foi encontrado em Campo Grande por R$ 2,88 em um posto de bandeira branca no Monte Castelo, o oitavo mais em conta entre os estados brasileiros. O produto de marca mais em conta era comercializado por R$ 2,89 em uma unidade da Ipiranga no bairro Coronel Antonino.

O produto mais caro no município custava R$ 3,39 em uma revendedora da Petrobras no bairro Amambai. O teto manteve o mesmo valor em relação ao estudo anterior.

No estado, o etanol mais alto era vendido por R$ 3,54 em um posto na zona rural de Três Lagoas, o quinto mais baixo no país. Esse valor máximo teve queda de 3,30% em relação aos resultados anteriores, quando o produto foi encontrado por R$ 3,67 em Mato Grosso do Sul.

Fonte: Campo Grande News

Funcionários comissionados farão declaração; concursados estão livres

A partir de janeiro do ano que vem, quem tiver algum parente servidor do município em linha reta ou colateral, em até 3º grau, não poderá ser funcionário da Prefeitura de Campo Grande. Decreto de combate ao nepotismo foi assinado hoje (17) pelo prefeito Marcos Trad (PSD).

Já na próxima semana, todos os servidores contratados pela prefeitura da Capital terão que preencher um formulário declarando se tem ou não algum parente também como funcionário da administração municipal. Se isso ocorrer, um dos dois será exonerado a partir do ano que vem, independente se os dois trabalharem em secretarias ou setores diferentes. Os funcionários concursados não entram nessa regra.

Parentes em linha reta são consanguíneos, quando há vínculos entre os descendentes e ascendentes de um progenitor comum, como por exemplo bisavós, avós, pais, filhos, netos e bisnetos. O grau se conta a cada geração. O filho é 1º grau, neto 2º grau e bisneto 3º grau. Já parentes colaterais são os irmãos, primos, tios, sobrinhos. Na linha colateral, embora não descendendo um do outro, são descendentes de um tronco ancestral comum. O parentesco começa no 2º grau, por exemplo, irmão é parente de 2º grau, tios e sobrinhos de 3º grau. Primos são parentes de 4º grau, ou seja, não entram no decreto.

De acordo com o secretário municipal de Gestão, Agenor Mattiello, os servidores têm até o fim desse ano para fazer o credenciamento. “A partir de janeiro do ano que vem serão as exonerações, mas já começamos na próxima semana a disponibilizar os formulários para a auto-declaração. Eles que vão declarar se tem ou não parentes na prefeitura. Tem até o final do ano para fazer essa declaração. O próprio servidor que vai fazer a opção quem sai. Se ninguém tomar a escolha, a prefeitura assume a decisão”, explicou.

Ainda conforme Mattiello, em consequência a saída de servidores, vagas em concursos devem ser ampliadas. “É inevitável que vai acontecer alguns desligamentos. Quantos nós ainda não sabemos. Estamos trabalhando nisso através do E-social, que é um recadastramento de todos os funcionários da ativa e inativa, mas é indiscutível que nós vemos ter uma redução e alguns serão desligados. Em consequência, a gente vai ter que ampliar o número de vagas em concurso. Felizmente nós já temos alguns concursos programados. Tem de auditor, de procurador, de médicos e também na área administrativa. Já temos esses concursos no nosso horizonte, já estão previstos”, completou.

O prefeito explicou no evento de hoje que os concursados não correm risco de demissão, mas podem ser afetados também pelo decreto. “Se há um parente concursado, mas que está com função de confiança, vai perder”, disse.

Ainda segundo o prefeito, o decreto acaba com o “jeitinho brasileiro” na administração municipal. “Ela atinge interesses individuais de determinadas pessoas que pregam a moralidade, mas sempre desejam um “jeitinho brasileiro”. Um universo de 25 mil pessoas. Não é questão necessária, é questão de ser justo e decente. Poderia contestar a medida do Ministério Público, fazer uma consulta ao Tribunal de Contas, ao Judiciário e esperar passar minha gestão”, concluiu.

MINISTÉRIO PÚBLICO
A criação do decreto surgiu a partir de uma recomendação do Ministério Público Estadual (MPE), que pretende antecipar a irregularidade do nepotismo e evitar denúncias. “A tentativa de uma normativa, de um decreto que preveja medidas preventivas é justamente para evitar que venha acontecer. Quando fizemos essa recomendação no ano passado, um dos fundamentos que colocamos lá, eram os casos recorrentes que chegavam ao MPE de nepotismo”, explicou o promotor de Justiça Adriano Lobo, da 29ª Promotoria de Justiça de Campo Grande.

Fonte: Correio do Estado

Cobrança indevida ocorreu em 2016

Sentença proferida na 15ª Vara Cível de Campo Grande julgou procedente ação movida por A.L.A. contra empresa de TV por assinatura, que incluiu seu nome nos órgãos de proteção ao crédito por dívida inexistente.

A empresa ré, com a qual o autor nunca celebrou contrato de prestação de serviço, foi condenada a declarar inexistente o débito no valor de R$ 432,33, bem como o pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 10.000,00.

Alega ao autor que no dia 25 de abril de 2016, por meio de contato telefônico, foi surpreendido por um atendente da operadora de TV por assinatura que o informou sobre um débito em seu nome no valor de R$ 432,33, alertando-o que deveria providenciar o respectivo pagamento para a retirada do seu nome do SPC. Salienta ainda que jamais contratou referidos serviços com a operadora, tampouco morou ou esteve na cidade de Fortaleza (CE), onde foi celebrado o contrato.

Dessa forma, em antecipação dos efeitos da tutela pretendida, pleiteou a exclusão de seu nome do cadastro de inadimplentes e a declaração de inexistência do débito alegado, bem como a condenação da requerida pelos danos morais sofridos, no valor de R$ 15.000,00.

Na decisão liminar, os pedidos de antecipação de tutela e de benefícios da assistência judiciária gratuita foram deferidos, determinando-se, a seguir, a citação da parte ré.

Citada, a empresa alegou inicialmente que as afirmações do autor não correspondiam a realidade. Salientou que os dados para cadastro de assinatura são fornecidos exclusivamente pelo cliente e argumentou que um suposto terceiro de má-fé possa ter usado os documentos da parte requerente para contratar os serviços e que, nesse caso, a empresa não tem como negar a prestação de serviço.

Ressaltou ainda que a assinatura habilitada em nome de A.L.A. está cancelada, tendo a empresa providenciado a isenção de todas as faturas inadimplidas, sem qualquer ônus para a parte a autora. Asseverou que não havia motivos para condenação em danos morais, visto que o caso trata apenas de aborrecimentos e inconformismos da vida cotidiana.

Também argumentou que cabe à parte autora o ônus de produzir provas. Por fim, postula que a pretensão autoral seja rejeitada.

O juiz Alessandro Carlo Meliso Rodrigues notou nos autos a falta de comprovação da ré da contratação alegada. "Ressalta-se que a tela do sistema juntada na sua peça de defesa não é hábil, por si só, para provar a referida contratação, visto que não há assinatura do requerente ou qualquer outro meio que pudesse identificar a autenticidade da contratação, como, por exemplo, gravação telefônica".

O juiz observou também a argumentação de má-fe de terceiro apontada pela empresa: "A alegação de que terceiro de má-fé possa ter utilizado os documentos da parte requerente, além de não estar devidamente comprovada, não constitui fundamento para afastar sua responsabilidade sobre danos causados ao consumidor. Sua responsabilidade é objetiva e, sendo assim, responde por qualquer ato danoso contra o consumidor, independentemente do ato ter sido praticado por terceiro".

"Por todas as razões acima expostas, conclui-se que a empresa procedeu à inscrição do nome da parte requerente nos órgãos de proteção ao crédito sem cumprimento dos requisitos legais necessários para tal desiderato, razão pela qual a inscrição no rol dos inadimplentes foi indevida, o que constitui justa causa apta a fundamentar a pretensão reparatória pelo dano moral alegado".

Fonte: Topmidianews

As taxas são justas e o prazo para pagamento pode ser de até 96 meses

A Sicredi Centro-Sul MS disponibiliza ao servidor público estadual do Mato Grosso do Sul a oportunidade de realizar o crédito consignado*. A consignação em folha é uma modalidade de empréstimo pessoal com pagamento das parcelas descontadas diretamente na folha de pagamento. Além disso, o funcionário estadual terá acesso a todas soluções financeiras oferecidas pela instituição financeira cooperativa.

As taxas são justas e o prazo para pagamento pode ser de até 96 meses. Para ter acesso, é necessário o servidor ir até uma agência, ser associado da Cooperativa e fazer uma simulação. Para abertura da conta corrente é preciso apresentar documento de identificação com foto, CPF, comprovante de residência atualizado, comprovante de renda, sendo holerite ou declaração de imposto de renda. Caso o solicitante seja casado, também é necessário certidão de casamento ou comprovação do regime de casamento e cópias de documento de identificação e CPF do cônjuge.

De acordo com o diretor executivo da Sicredi Centro-Sul MS, Giorgio Martins Bonato, esta é mais uma solução que a Cooperativa oferece para ajudar os associados a tirar os planos do papel. “É uma oportunidade de terem acesso ao cooperativismo e ao crédito consignado, com taxas favoráveis e de um jeito descomplicado. Além disso, ao ser um associado, o servidor passa a ser dono da instituição financeira cooperativa e participa dos resultados gerados de forma coletiva.”

Além do crédito consignado, o servidor público que se torna um associado tem à disposição soluções financeiras que se adequam ao seu objetivo e a sua necessidade. Produtos como créditos e consórcios, com taxas justas e com a flexibilidade de escolher o prazo. A tranquilidade para proteger seu patrimônio e sua vida, com diversas modalidades de seguros, investimentos e previdência. Além de soluções para facilitar as transações e movimentações, como cartões, Internet Banking e Sicredi Mobi, garantindo mais comodidade e agilidade onde e quando precisar.

*Crédito sujeito a análise e aprovação.

Sobre a Cooperativa Sicredi Centro-Sul MS

A Sicredi Centro-Sul MS está presente em 23 municípios da região sul do Estado: Amambai, Aral Moreira, Bataguassu, Batayporã, Bela Vista, Caarapó, Coronel Sapucaia, Deodápolis, Dourados (5), Eldorado Fátima do Sul, Iguatemi, Itaporã, Itaquiraí, Ivinhema, Laguna Carapã, Mundo Novo, Naviraí, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Ponta Porã e Rio Brilhante. Atualmente são mais de 70 mil associados atendidos pela Cooperativa.

Em comparação ao montante recebido mês passado pelas cidades de MS, queda foi de 32%

Os municípios de Mato Grosso do Sul receberam R$ 32,3 milhões a menos neste mês de julho, referentes ao repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). A queda foi de 32% na comparação com junho, quando os recursos somaram R$ 100,6 milhões; já neste mês, o montante foi de R$ 68,3 milhões. Os cálculos foram feitos pela assistência técnica da Associação dos Municípios de MS (Assomasul).

O FPM é repassado a cada dez dias do mês como parte da arrecadação do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). O primeiro repasse (decêndio) de julho totalizou R$ 27,9 milhões, enquanto o segundo foi de R$ 10,7 milhões, e o terceiro fechou em R$ 29,6 milhões.

A previsão da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), vinculada ao Ministério da Fazenda, é de que haverá uma recuperação de 24% em agosto em relação a julho. No entanto, o fundo constitucional registrará um decréscimo de 10% em setembro, em comparação a agosto.

Fonte: Correio do Estado

Demanda no setor térmico foi reduzida pela metade no comparativo com 2017

Os relatórios da distribuição de gás natural no primeiro semestre de 2018 revelaram queda no consumo do combustível no Estado. O total fornecido entre janeiro e junho foi o menor volume dos últimos quatro anos, 169,4 milhões de metros cúbicos, e 12% a menos em relação ao mesmo período anterior.

Os números são da Companhia de Gás do Estado de Mato Grosso do Sul (MSGás), que, em 2015, atingiu 515,5 milhões de metros cúbicos distribuídos no primeiro semestre. O total despencou para 179,1 milhões no ano seguinte e subiu para 192,5 milhões em 2017.

O volume fornecido nos seis primeiros meses deste ano foi impactado pela baixa demanda no segmento térmico. O consumo de gás natural na Usina Termelétrica Luís Carlos Prestes, em Três Lagoas, caiu pela metade no comparativo com 2017 – de 123,4 milhões para 61 milhões de metros cúbicos.

O declínio na geração de energia elétrica pela unidade três-lagoense – única do Estado em operação – justifica a baixa necessidade pelo combustível. Segundo dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (Ccee), fornecidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), foram gerados 223,38 megawatts (MW) médios entre janeiro e maio deste ano. No mesmo período do ano passado, a geração foi pelo menos três vezes maior, com 759,31 MW médios.

Leia também:

- Policia Militar de Novo Horizonte do Sul prende homem com faca após ameaçaPolicia Militar de Novo Horizonte do Sul prende homem com faca após ameaça

- PREFEITURA DE NOVO HORIZONTE DO SUL ABRE EDITAL PARA VENDA DE TERRENOS NO LOTEAMENTO VILA NOVAPREFEITURA DE NOVO HORIZONTE DO SUL ABRE EDITAL PARA VENDA DE TERRENOS NO LOTEAMENTO VILA NOVA

- NOVO HORIZONTE DO SUL: Chamada pública para aquisição de gêneros alimentícios diretamente da Agricultura Familiar e do Empreendedor Familiar Rural

- NOVO HORIZONTE DO SUL: AutoEscola Nova Aliança presenteia mais uma aluna nota 10

Fonte: Correio do Estado

Apuração será no dia 10 de agosto; serão sorteados 27 prêmios de R$ 2 mil em RDC, sendo um por agência da Cooperativa

A Sicredi Centro-Sul MS realizará mais um sorteio da campanha promocional “Poupar no Sicredi é Tudo de Bom”. No dia 10 de agosto, serão sorteados 27 prêmios em RDC no valor de R$ 2 mil cada, sendo um por agência da Cooperativa. Além destes, ao longo do ano, os associados, pessoas físicas e jurídicas, que realizarem depósitos em poupança, depósitos a prazo e aplicação em capital social na Cooperativa concorrerão a camionete, carros, moto, viagem, bicicletas, eletrônicos e 27 prêmios de R$ 2 mil. Ao todo, são 97 prêmios que somam R$ 327 mil e serão distribuídos em quatro sorteios durante o ano.

O período de participação da promoção iniciou no dia 2 de abril e segue até o dia 7 de dezembro. A primeira apuração, realizada no dia 15 de junho, entregou 27 caixas de som JBL, Flip 4, e 27 prêmios de R$ 2 mil em depósito em RDC, sendo um de cada, para cada agência da Cooperativa. O segundo sorteio que será realizado no dia 10 de agosto e também distribuirá 27 prêmios em RDC no valor de R$ 2 mil cada, sendo um para cada agência. Já na terceira apuração, que ocorrerá no dia 10 de outubro, serão sorteados um drone DJI, modelo phantom 3, uma moto Honda, modelo CG 125, e um carro Fiat Mobi para todos os participantes da Campanha.

E, no último sorteio, que será realizado no dia 15 de dezembro, será um verdadeiro festival de prêmios, com o sorteio de um micro-ondas Philco, duas bicicletas Caloi, um ar condicionado Electrolux 12.000 BTUS, um Xbox One, um refrigerador Brastemp, um Iphone 8, um notebook Dell, um fogão Brastemp, um voucher de viagem nacional no valor de R$ 5 mil, uma TV LG 65”, um carro Hyundai modelo HB20 e uma camionete GM modelo S10 CD Advantage, para todos os associados participantes de acordo com o regulamento.

Regulamento

Os prêmios são válidos somente para associados da Sicredi Centro-Sul MS que realizarem as aplicações nos produtos participantes. Para garantir os cupons, os associados devem atender alguns critérios nas movimentações contempladas na ação. De acordo com o regulamento, os associados, pessoa física, têm direito a concorrer a cada R$ 5.000,00 mantidos na poupança que dá direito a 1 cupom. A cada aplicação de R$ 150,00 em poupança ganha 1 cupom e aplicações programadas de 12 parcelas de no mínimo R$ 100,00, garantem 3 cupons. Se a aplicação for em depósito a prazo, a cada R$ 5.000,00 dá direito a 1 cupom e se a aplicação for programada em 12 parcelas de no mínimo R$ 1.000,00 cada parcela, vale 3 cupons. A integralização em capital social também garante 1 cupom para o associado.

Já os associados pessoas jurídicas garantem seus cupons a cada aplicação em depósito a prazo de R$ 10.000,00, que vale 1 cupom. Se a aplicação em depósito a prazo for programada em 12 parcelas de no mínimo R$ 2.000,00, o associado tem direito a 3 cupons. Os cupons são cumulativos, mas só serão considerados válidos os depósitos e as aplicações realizados e mantidos até a data de cada sorteio.

Para participar da promoção é necessário a apresentação do comprovante da operação a um colaborador sua agência da Sicredi Centro-Sul MS. O associado deve ainda responder corretamente à pergunta “Qual instituição financeira cooperativa que distribui resultado proporcional à movimentação do associado?”. O regulamento completo está disponível nas agências e também no site www.pouparnosicredietudodebom.com.br. A promoção está aprovada sob o Certificado de Autorização 02.000313/2018.

Sobre a Cooperativa Sicredi Centro-Sul MS

A Sicredi Centro-Sul MS está presente em 23 municípios da região sul do Estado: Amambai, Aral Moreira, Bataguassu, Batayporã, Bela Vista, Caarapó, Coronel Sapucaia, Deodápolis, Dourados (5), Eldorado, Fátima do Sul, Iguatemi, Itaporã, Itaquiraí, Ivinhema, Laguna Carapã, Mundo Novo, Naviraí, Nova Alvorada do Sul, Nova Andradina, Novo Horizonte do Sul, Ponta Porã e Rio Brilhante. Atualmente são mais de 71 mil associados atendidos pela Cooperativa.

Governo reduziu alíquota do imposto sobre o combustível, mas valor de referência terá alta

Quase dois meses após o governo do Estado reduzir por tempo indeterminado a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o diesel em Mato Grosso do Sul — a queda foi de 17% para 12% —, o combustível poderá ficar até 3,62% mais caro no Estado, a partir de 1º de agosto. De acordo com nova tabela do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), publicada nesta terça-feira (25) no Diário Oficial da União, o diesel S-10 terá aumento no valor de referênca a ser aplicado no mercado estadual, passando de R$ 3,4887 para R$ 3,6149, enquanto para o óleo diesel, a alta será de 3,54%, saindo de R$ 3,3837 para R$ 3,5036. As elevações, respectivamente de 12 e 11 centavos por litro, decorrem de reajustes na pauta fiscal dos combustíveis, que não ocorriam desde o início de junho.

Ainda conforme o ato da Comissão Técnica Permanente (Cotepe) do Confaz, apenas dois produtos terão queda no valor de referência em Mato Grosso do Sul: a gasolina comum e o etanol. Seguindo trajetória inversa à do último reajuste, a gasolina comum deve ficar 1,61% mais barata no Estado, chegando ao preço de R$ 4,3727, ante R$ 4,4448, pela pauta fiscal em vigor, uma diferença de sete centavos por litro. No caso do derivado de cana, a redução será de 1,97%, saindo de R$ 3,3305 para R$ 3,2649, ou seis centavos a menos. Já a gasolina aditivada terá aumento de cinco centavos no valor de referência, indo de R$ 5,8355 para R$ 5,8943 (+1,01%).

Fonte: Correio do Estado

A gasolina atingiu o preço máximo de R$ 4,81 nesta semana em Campo Grande. Segundo levantamento feito pela ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o menor valor para o combustível encontrado na Capital foi de R$ 3,99.

O preço considera valores pesquisados pela ANP na semana passada. O preço de R$ 4,81 é um dos maiores já registrados e foi encontrado em um posto de bandeira Petrobras do bairro Jardim Panorama.

No Mato Grosso do Sul, o município de Três Lagoas, a 338 km de Campo Grande, também apresentou altos preços para o combustível. A gasolina foi encontrada pelo valor de até R$ 4,79 e o mínimo foi de R$ 4,29.

á o etanol foi encontrado pelo preço mínimo de R$ 2,89 e chegou a R$ 3,36 em Campo Grande. A Capital teve o menor preço para o combustível, que chegou a ser ofertado por R$ 3,67 em Corumbá.

Preço nas refinarias
A Petrobras anunciou uma redução de 1,79% da gasolina na terça-feira (17) e o preço foi mantido até então. Apenas no mês de julho o combustível acumula alta de 0,64%, já que, no final de junho, era negociado a R$ 1,9486.

Fonte: Midiamax

Pagina 1 de 18

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top