Oncinhas resgatadas em Nova Andradina vão para maternidade, mas futuro preocupa

04 Abril 2019
(0 votos)
Autor 
Entre áreas cadastradas para receber felinos, metade já não aceita as onças e outra metade sofre com a degradação / Imagens: Divulgação

Entre áreas cadastradas para receber felinos, metade já não aceita as onças e outra metade sofre com a degradação

A dupla de oncinhas resgatada nesta semana em canavial de Nova Andradina já está sob cuidados do CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), em Campo Grande. Na maternidade do lugar, elas são alimentadas e parecem bem dispostas. Mas quando crescerem, os filhotes podem enfrentar dificuldades maiores para voltar à natureza em comparação ao que animais adultos já passam hoje.

É que os felinos têm de ser soltos em fazendas cadastradas e metade já não aceita esse tipo de animal. Os outros 50% de áreas que sobram, ficam a cada ano mais degradados, o que também prejudica a reinserção.

Apesar do CRAS ter mais de 60 fazendas de Mato Grosso do Sul cadastradas para receberem animais silvestres, 50% dos fazendeiros não aceitam onças em suas propriedades. Conforme o médico veterinário, Lucas Cazati, isso tem dificultado a solturas dos felinos, que precisam ir para um local preservado, para garantir a sobrevivência quando voltarem à natureza.

“Acredito que chega a 50% das fazendas que tem problema com onça, pois boa parte quer animais que levem benefícios. Os fazendeiros querem papagaio, araras, bichos que tragam visitação, beleza que sejam mais caricatos e apresentem menos riscos à família deles”, conta Cazati, que trabalha no CRAS há um ano.

O médico veterinário relata que a maioria dos fazendeiros, cuja renda vem do gado, não aceita os felinos nas propriedades. “Fazem cria, recria e engorda e se colocar esse animal no local, o proprietário pode matar e prejudicar a espécie. Estamos passando por um novo cadastro desses espaços para ter a certeza de que o bicho não sofrerá traumas causados por humanos”, disse.

O problema é que na outra metade que sobre, as condições também não são ideais. De acordo com o veterinário, outro ponto que também tem dificultado a soltura das onças é a degradação ambiental. “A maioria das áreas, até de conservação, está sofrendo degradação. Isso também dificulta o nosso trabalho, porque quanto mais o tempo passa, menos áreas de soltura aptas têm. É uma corrida contra o tempo, recebemos muitos animais”, falou.

O processo, segundo os responsáveis, é bem cuidadoso ao selecionar a área de soltura, por conta de experiências traumáticas na rotina com os felinos. “Conheço casos de maus-tratos, pessoa que dá tiro, que captura e arranca dente. Nosso trabalho com o animal envolve pesquisa, noites sem dormir para devolver o bicho para a natureza e vir um fazendeiro que não acordou legal e matar... Temos que ter esses cuidados”, afirmou.

Recadastramento

O coordenador do CRAS, Marlon Cezar Cominetti explica que boa parte dos cadastros das fazendas que desejam receber animais silvestres é antiga e que precisa ser atualizada. No entanto, isso leva tempo. “Estamos mudando o processo, quero colocar sistema de georeferenciamento, pois antes era a campo. Isso é um problema porque parece que o lugar é perfeito e de repente descobre que não é bom para o animal”, contou.

O processo deve demorar. “Quero pegar cada fazenda que são mais de 60, ligar para todos os proprietários e ver se tem interesse ainda. Vários locais cadastrados nunca receberam nada. Queremos rever isso, conversar com todos. Como a gente já tem os dados de campo, faremos a analisa pela geolocalização. A equipe avaliará o entorno para ver se é viável ou não, e daremos um parecer”, disse.

Cominetti relata que a fauna é relativamente padrão, no entanto, a diferença é em relação à degradação ambiental. “Tem áreas mais preservadas, outras nem tanto. Vou me preocupar mais com as degradações, é um trabalho que leva anos”, adianta.

O coordenador do CRAS comenta ainda que as plantações são a maior causa do desmatamento. “Às vezes, a fazenda não está degradada, mas o entorno sim. Está tendo uma diminuição de pasto e vemos a soja, milho entrando. Não sou contra o agronegócio, mas degrada o ambiente. A preocupação é ver como estão às áreas e seu entorno”, concluiu.

No caso das oncinhas, elas conheceram essa realidade bem cedo. Se perderam da mãe por conta do desmatamento para plantação de cana que abastece as usinas sul-mato-grossenses. Com Campo Grande News

Fonte: Jornal da Nova

 PUBLICIDADE 

A Prefeitura Municipal de Novo Horizonte do Sul através da Gerência Municipal de Saúde, comunica a todos estará realizando a 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (Gripe).

De 10 a 19 de abril, vacinação para as Crianças de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias e gestantes.

De 22 de abril a 31 de maio para todos os grupos prioritários Taís como: Idosos acima de 60 anos de idade, funcionários da saúde, professores, Puérperas (ate 45 dias após o parto) e crianças 6 meses ate 5 anos 11 meses 29 dias, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clinica especial, não se esquecendo da prescrição medica que deverá ser apresentada no ato da vacinação.

O Dia D previsto para o Dia 04 de maio de 2019 no posto de saúde das 8:00 as 17:00 horas.

Todos devem procurar o posto de saúde com sua carteira de vacinação das 7:00 h às 11:00 h e das 13:00 as 17:00 horas durante a semana.

 

917 : Visualizações
Redação

Salvar

 PUBLICIDADE 

A Prefeitura Municipal de Novo Horizonte do Sul através da Gerência Municipal de Saúde, comunica a todos estará realizando a 21ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (Gripe).

De 10 a 19 de abril, vacinação para as Crianças de 6 meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias e gestantes.

De 22 de abril a 31 de maio para todos os grupos prioritários Taís como: Idosos acima de 60 anos de idade, funcionários da saúde, professores, Puérperas (ate 45 dias após o parto) e crianças 6 meses ate 5 anos 11 meses 29 dias, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clinica especial, não se esquecendo da prescrição medica que deverá ser apresentada no ato da vacinação.

O Dia D previsto para o Dia 04 de maio de 2019 no posto de saúde das 8:00 as 17:00 horas.

Todos devem procurar o posto de saúde com sua carteira de vacinação das 7:00 h às 11:00 h e das 13:00 as 17:00 horas durante a semana.

 

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top